Time da Série B se silencia após conselheiro ser acusado de racismo durante jogo


Brusque, SC, 29 (AFI) – O Brusque segue sem se pronunciar depois de um conselheiro ter sido acusado de racismo pelo meia Celsinho, do Londrina, durante jogo realizado no último sábado, no Estádio Augusto Bauer, pela 18ª rodada da Série B do Brasileiro.

No final do primeiro tempo, Celsinho, que estava como opção no banco de reservas, se dirigiu ao quarto árbitro e disse ter sido ofendido com as seguintes palavras: “vai cortar esse cabelo seu cachopa de abelha”, por uma pessoa que estava na arquibancada.

De acordo com a súmula do árbitro sergipano Fábio Augusto Santos Sá Júnior, o coordenador da CBF, Ricardo Luiz, identificou a pessoa como Júlio Antônio Petermann, que é conselheiro do clube catarinense.

Através da assessoria de imprensa, a diretoria do Brusque disse que iria se pronunciar sobre o ocorrido neste domingo. Mas até o momento sequer uma nota oficial foi publicada pelo clube.

ATÉ QUANDO?
Essa não é a primeira vez que Celsinho sofre insultos racistas nesta Série B de Brasileiro. Nos jogos contra Goiás e Remo, o meia do Londrina foi xingado por jornalistas da Rádio Bandeirantes, de Goiânia, e da Rádio Clube do Pará, de Belém, respectivamente.

Confira também:





Fonte: Futebol Interior