Acusado de calote pelo Vitória, Athletico-PR alega que jogador estava livre após rescisão – Futebol Interior


Curitiba, PR, 15 (AFI) – Acusado pelo Vitória de não efetuar o pagamento referente do lateral Pedrinho. O Athletico-PR garante, que não deve nada ao clube baiano, uma vez que negociou com o jogador quando ele estava livre no mercado, após a rescisão do contrato.

O Vitória entrou com uma ação contra o Furacão, que corre na 10ª vara cível e comercial de Salvador. E o clube paranaense, representado pelo seu corpo jurídico, apresenta está justificativa.

IMBRÓLIO ANTIGO

O imbróglio começou quando as duas equipes iniciaram as tratativas por uma “venda casada” que levaria os atletas Pedrinho e Pablo Siles ao Athletico pelo valor de R$ 10 milhões. Esse negócio, entretanto, não foi concluído. E de acordo com o Furacão, a negociação com Pablo, não se concretizou por fala que o Vitória, não efetuou o pagamento ao Danubio do Uruguai. Ao mesmo tempo que o Rubro-Negro não efetivou a compra de Pablo, efetuou a rescisão de contrato de Pedrinho, que foi publicada no Boletim Informativo Diário (BID) no dia 20 de agosto.

Pedrinho assinou com o Furacão por cinco anos — Foto: Pietro Carpi/ Divulgação/ EC Vitória

Então o Furacão assinou contrato com o jogador no dia 9 de agosto, argumentando, que a rescisão do clube baiano foi de forma precipitada. O contrato de Pedrinho com seu novo clube terá validade por cinco anos.

AINDA VAI LONGE

A principio, o Vitória iria receber aproximadamente R$ 8,5 milhões, e acionou a justiça para receber valor em acordo. Mas um fator negativo para os baianos, é que a negociação aconteceu quando Paulo Carneiro, estava à frente do clube, mas em áudio, ele garante que o Leão da Barra, está amparado na negociação. De acordo com o presidente Luiz Henrique Viana, o Furacão enviou o contrato de transferência do jogador, mas não confirmou se algum dirigente do clube havia assinado o documento.

Confira também:





Fonte: Futebol Interior