Manaus-AM x Botafogo-PB – Evaristo Piza é a kryptonita do Belo? – Futebol Interior


Manaus, AM, 10 (AFI) – A tarde de domingo tem um ótimo confronto pelo Campeonato Brasileiro Série C. O Manaus-AM recebe, na Colina, o Botafogo-PB, às 16 horas, pela 16ª rodada. O Belo, curiosamente, não se encontrou desde que Evaristo Piza assumiu o Gavião. O retorno ao sucesso passa por um triunfo diante do “chefão”.

O Manaus é o líder do Grupo A com 24 pontos. Mesma pontuação do Paysandu-PA, porém, com mais vitórias (7 a 6). O Botafogo é o primeiro fora do G4, em quinto, com 22 pontos.

É O CHEFÃO?

Antes da chegada de Evaristo Piza, a situação do Manaus não era das melhores. O Gavião não vencia há quatro partidas, com dois empates e duas derrotas. O Botafogo era um dos times no topo do Grupo e tinha dois triunfos, além de um tropeço e uma igualdade.

O cenário não demorou para se transformar no Manaus. Foram seis rodadas e 13 pontos conquistados para assumir a liderança. O Belo ganhou uma, somou apenas cinco, no período e saiu do G4.

No último jogo, o Botafogo perdeu uma grande oportunidade ao sofrer o empate no último lance, praticamente, contra o Tombense-MG. A vida se tornou complicada desde o “surgimento” de Evaristo Piza na Série C…

PROVÁVEIS ESCALAÇÕES

O Manaus tem uma ausência, no banco de reservas, com Vitinho, que recebeu o terceiro cartão amarelo, porém, pode ter peças novas. Dos três reforços anunciados durante a semana, apenas Daniel Costa foi regularizado, mas dificilmente começa a partida.

Guilherme e Júlio Rusch aguardam a burocracia para serem relacionados. Entre os 11 iniciais, quem retorna é Guilherme Amorim. O volante cumpriu suspensão e, provavelmente, ocupa a vaga de Derlan.

O treinador Gerson Gusmão continua com dois desfalques. O zagueiro Fred o meio-campista Esquerdinha não foram liberados pelo Departamento Médico. Situação diferente é de Junhinho, que volta e está à disposição.

O comandante, porém, não deve modificar o time titular. O Botafogo foi superior contra o Tombense, antes das substituições, e a tendência é da manutenção do esquema com quatro defensores.

Confira também:





Fonte: Futebol Interior