Paraná-PR 2 x 1 Criciúma-SC – Bruno Grassi, de novo, salva o Paraná e garante vitória fundamental – Futebol Interior


Curitiba, PR, 04 (AFI) – Bruno Grassi. Não tem como falar deste jogo antes de citar o goleiro do Paraná-PR. O time recebeu o Criciúma-SC, na Vila Capanema, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro Série C e venceu por 2 a 1. A empate ou até a virada só não aconteceu por conta de Bruno Grassi.

Logo no primeiro tempo, os donos da casa abriram a vantagem com Eberê e Gustavo França. Na reta final, aos 45 da segunda etapa, Fellipe Mateus diminuiu, de pênalti.

O Paraná continua na vice-lanterna (9°), mas chega aos 13 pontos, a três do Mirassol-SP, que é o adversário na próxima rodada. O Criciúma se mantém no terceiro com 26 e pode ser ultrapassado, caso o quarto Ituano-SP vença o Figueirense-SC, na segunda-feira.

TRICOLOR REAGE MUITO BEM

O Criciúma, como era esperado, começou a partida em cima. Chegou três vezes, em cinco minutos, mas parou por aí. O Paraná, apesar dos apesares, melhorou e tomou conta.

Aos 13, Eberê abriu a contagem. Vinícius Guarapuava desviou de cabeça e a bola sobrou nos pés do centroavante. Ele chutou com a esquerda e estufou as redes de Gustavo.

Minutos depois, foi a vez de Gustavo França aproveitar. Em cruzamento de Alex Murici, a redonda ficou viva na área e acabou com o ponta. Ele também não perdoou e ampliou.

O Tigre voltou a atacar só nos acréscimos, Helder cruzou e Marcão apareceu livre na área. Ele cabeceou e viu Bruno Grassi salvar o que seria o primeiro do Criciúma. No rebote, o goleiro sofreu a falta.

B-R-U-N-O  G-R-A-S-S-I

Na volta dos vestiários, o jogo demorou para animar. O Paraná não atacou com o mesmo ímpeto e o Criciúma ficou quase 10 minutos para se encontrar. Quando se encontrou, porém, dominou.

O Tigre passou a criar muitas oportunidades e o Paraná, recuado, soube sofrer, principalmente por conta de Bruno Grassi. O goleiro, mais uma vez, foi fundamental. O Paraná tentou dificultar a vida do próprio atleta e quase colocou tudo a perder.

Murici levou o segundo amarelo e foi expulso. Aos 45 minutos, Gustavo França parou a bola com a mão, dentro da área, e o árbitro marcou pênalti. Fellipe Mateus cobrou e diminuiu.

O Criciúma, obviamente, partiu para cima e pressionou o Paraná, mas a noite era dele. Apesar de não defender o pênalti, Bruno Grassi ainda teve tempo para brilhar DUAS vezes. Na primeira, com o cabeceio de Rodrigo. Na segunda, o último lance, a redonda passou à área, desviou e morreu nas mãos do goleiro.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS

O Paraná volta a campo com a missão de vencer para continuar na briga pela permanência. Novamente no Durival Britto, joga a “vida” com o Mirassol, às 18 horas do domingo (12). O Criciúma enfrenta, em casa, no Heriberto Hulse, o Botafogo no dia anterior, sábado, às 19 horas.

Confira também:





Fonte: Futebol Interior