Salvador alcança um milhão de imunizados contra a Covid-19


Salvador alcançou, na manhã deste sábado (11), a marca de um milhão de imunizados com duas doses ou dose única contra a Covid-19. Para chegar a esse número, a Prefeitura utilizou uma estratégia de vacinação, desde janeiro deste ano, que contemplou os públicos prioritários definidos pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação (PNO).

Idosos, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades, entre outros grupos prioritários, foram os primeiros a receber os imunizantes. Após o cumprimento dessas fases, a capital baiana passou a realizar as aplicações de forma decrescente de faixa etária e, atualmente, segue vacinando pessoas de 16 anos ou mais.

 “Acabamos de chegar à marca histórica de um milhão de imunizados em Salvador. Isso representa um passo muito importante na luta contra o coronavírus. Só conseguimos isso porque investimos muito na vacinação, com pontos fixos, drives e o Vacina Express, além dos mutirões e viradões”, declarou o prefeito Bruno Reis.

O chefe do Executivo municipal ressaltou ainda a importância da imunização para o combate à Covid-19. “Sempre acreditamos que, somente com a vacinação, iríamos vencer essa guerra, e estamos muito próximos de virar essa página triste da nossa história. Mas, conto com todos que ainda não se vacinaram com a primeira dose e os que não voltaram para tomar a segunda e a terceira dose, para que vacinem. Só assim, dessa forma, vamos conseguir acelerar o processo de vacinação e voltarmos à normalidade”, alertou.

Para a subcoordenadora de Imunização da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Doiane Lemos, chegar a um milhão de imunizados na cidade mostra que a estratégia municipal tem impactado diretamente a população, contribuindo fortemente para a queda nos números de internações, de ocupação de leitos e no próprio índice da doença, com redução da quantidade de pessoas contaminadas. “Estamos tendo uma proporção de pessoas imunizadas no município e isso significa a retomada da vida. A gente começa a ver o impacto da vacinação e é importante que a população valorize cada vez mais a ciência e a vacinação, porque é dessa forma que as doenças são combatidas”.

Doiane ainda lembrou que a imunização com as duas doses favorece o bem coletivo, sendo uma responsabilidade de todos. Por isso, é importante também sensibilizar as pessoas do próprio convívio para completar o esquema de vacinação.

Além disso, ela ressaltou o empenho dos profissionais, desde os gestores até os bastidores, do quanto todos se mobilizaram para que chegássemos ao milhão. “Precisamos valorizar porque esse milhão está embutido em tudo isso, porque às vezes não temos a dimensão de todo o trabalho que é feito”.

O porteiro Washington Leal, de 55 anos, já tomou as duas doses da vacina. Ele, que diariamente convive com centenas de pessoas que circulam na recepção do prédio onde trabalha, confessou se sentir mais seguro em ambientes fora de casa depois que tomou a segunda dose. “Espero que os outros tenham consciência e tomem a segunda, terceira, quarta, quantas doses vierem”.

A secretária Karine Campos, de 46 anos, também já garantiu as duas doses do imunizante e acredita que a vacina é importante, pois enfraquece a potência do vírus. “Me sinto muito mais segura, mas não me descuido. Continuo usando máscara, álcool em gel e mantendo o distanciamento, tomando vitamina D para melhorar a imunidade”.

Estratégia – O desempenho de Salvador na campanha chegou a ser reconhecido como o mais eficiente dentre as capitais do país. Antes mesmo da chegada das primeiras doses das vacinas contra o coronavírus, a administração municipal elaborou e lançou o Plano Municipal de Imunização, em janeiro. A estratégia reúne todo o planejamento necessário que incluiu a delimitação das fases e respectivos públicos-alvo, pontos fixos de vacinação, drive-thrus e até mesmo imunização em casa, com o Vacina Express, para pessoas com dificuldade de locomoção.

Também foram adquiridos quatro ultrafreezers para acondicionamento de imunobiológicos que necessitam de baixíssimas temperaturas (caso das vacinas produzidas pela Pfizer) e elaborada toda uma logística para transporte, armazenamento e distribuição das doses. Esse planejamento, portanto, possibilitou que a vacinação pudesse ser iniciada um dia após o desembarque das primeiras doses na cidade.

Para garantir cobertura aos públicos-alvo da vacina, atualmente cerca de 2 mil profissionais de saúde são mobilizados pelo município para atuarem em pontos espalhados pela cidade, inclusive, em esquema de plantão aos finais de semana.

Diversas estratégias também foram pensadas para garantir agilidade e atendimento amplo à população. Algumas delas foram os mutirões e os viradões de aplicação das doses, além de ferramentas digitais como o Filômetro (movimentação nos postos), QR Code da Vacinação (agilidade na triagem), Vacinômetro (acompanhamento das doses) e Portal Comorbidades (cadastramento de pacientes com doenças crônicas para vacinação).





Fonte: iBahia