Tudo que você precisa saber sobre Massarandupió, praia naturista da Bahia



É obrigatório ficar nu? É proibido usar óculos escuros? Posso ir sozinho? Só pode entrar casal? Essas são apenas algumas das dúvidas que surgem quando o assunto é Massarandupió, famosa praia naturista da Bahia pertencente ao município de Entre Rios. Para ajudar os visitantes a se planejarem com segurança para uma visita ao local, preparamos um guia completo com o que é permitido ou proibido.

Antes de mais nada, você precisa saber que o naturismo é uma filosofia de vida, um conjunto de princípios éticos que prega um retorno à natureza como a melhor maneira de viver. Ou seja, vida ao ar livre, alimentos naturais, prática do nudismo, dentre outros.

Como Chegar
Localizado à 93KM de Salvador, o município de Entre Rios é famoso por suas belas praias, entre as quais estão Porto de Sauípe, Subaúma e Massarandupió. Esta última é uma das oito praias brasileiras onde a prática de naturismo é regulamentada. A faixa de areia destinada ao naturismo é de 2KM, mas normalmente apenas 800 metros são utilizados pelos visitantes.

Para chegar a Massarandupió, a partir do Aeroporto de Salvador, basta dirigir pela BA-099 (Estrada do Coco/Linha Verde). Após passar pela entrada de Porto de Sauípe, uma placa informará o acesso a Massarandupió, que é uma estrada de barro com cerca de 10KM. Todo o percurso, feito de carro, dura aproximadamente 1h35.

A região é abençoada pela natureza, com dunas, coqueiros, praia e um rio que corre bem na beirinha do mar. Em toda a área é permitido tomar banho, mas o nudismo só é mesmo regulamentado na faixa de 2KM citada acima, sendo proibido ficar nu nas demais partes da praia, o que pode ser encarado como ato obsceno e levar à detenção. 

Erick Issa e as belezas de Massarandupió (Fotos: Acervo Pessoal/Erick Issa)


Estrutura

No caminho da estrada de barro, você passará por uma vila pacata, com algumas casas, pousadas, mercadinhos e lojinhas, como por exemplo, as de artesanato. Entre as pousadas da região estão a Quinta das Flores, Santo Antônio, Mami Wata, Vila da Barbie, Rio e Mar, Atlântica, Encanto Massarandupió e o Hostel Amicum. Também é possível fazer um bate volta partindo de Salvador ou de praias próximas, como Itacimirim, Imbassaí, Guarajuba, Porto de Sauípe, Subaúma, Conde, Baixio e Praia do Forte.

De carro, basta estacionar gratuitamente em um dos espaços próximos aos coqueiros, alguns metros da faixa de areia. De lá para a praia de naturismo, são cerca de 20 minutos de caminhada, mas, antes disso, você pode aproveitar a parte da praia onde não é preciso ficar sem roupa. Outra opção para quem está em um grupo no qual algumas pessoas são adeptas ao naturismo e outras não, é ficar na área de adaptação, onde não é necessário tirar a roupa.

Em temporadas e dias mais movimentados, como no verão e aos sábados, seguranças ajudam no controle dos visitantes. A prática do naturismo é permitida todos os dias do ano, em qualquer horário. Como preservação da intimidade dos frequentadores, a Prefeitura proibiu a construção de qualquer tipo de empreendimento a menos de 300 metros da área naturista.

Algumas barracas de praia servem de ponto de apoio para o turista, tanto na parte naturista quanto na faixa onde é possível ficar de roupa. A culinária é voltada aos frutos do mar, como peixes, moquecas, caldos, bolinhos, dentre outras iguarias. Comemos uma porção com oito bolinhos (bacalhau ou camarão) por R$ 30, enquanto a lagosta, a depender do seu tamanho, pode variar entre R$ 45 e R$ 200. A moqueca de camarão sai por R$ 115, enquanto a de peixe custa R$ 100. Já o famoso caldo de sururu custa R$ 16.

Erick Issa e as belezas de Massarandupió (Fotos: Acervo Pessoal/Erick Issa)

Naturismo
Além de Massarandupió, o Brasil conta com outras sete praias de naturismo. São elas: Praia do Abricó, no Rio de Janeiro; Praia Olho de Boi, no Rio de Janeiro; Praia de Tambada, na Paraíba; Praia da Galheta, em Santa Catarina; Praia Pedras Altas, em Santa Catarina; Praia da Barra Seca, no Espírito Santo; e Praia do Pinho, em Santa Catarina.

Criada pelo Decreto Municipal nº1.571, de 28 de julho de 1999, a reserva naturista tem seus critérios de permissão e proibição estabelecidos pela Lei Nº. 164/2018, de 02 de abril de 2018, que regulamenta a prática de naturismo na Praia das Dunas, sendo administrada pela Associação Massarandupiana de Naturismo. As regras de conduta da área estão delimitadas na Lei de 2018. 

Um dos principais mitos é de que não se pode usar óculos escuros na praia naturista. Isso não é verdade. Você pode usar seu acessório normalmente. Outra lenda diz que é proibido o acesso sozinho à praia. Isso também é mito, afinal de contas não há essa proibição prevista na regulamentação. A Lei, inclusive, fala que passantes podem seguir seu caminho, mesmo que de roupa, pela faixa naturista de 2KM. Só não permitido parar ali e ficar vestido, mas passar, caminhando, sem parar, não é proibido.

Por questão de higiene, recomenda-se que sempre que for se sentar em algum lugar, seja na areia ou em uma cadeira, o visitante coloque uma toalha ou canga. A praia é pública e não é preciso pagar para ter acesso ao local, entretanto, a Lei permite que a Associação cobre uma taxa opcional ao visitante. Isso não ocorre atualmente, mas pode ser adotado em algum momento, já que está previsto na Lei. Caso isso seja adotado, repetindo, a contribuição é opcional e você não será proibido de acessar o local caso não tenha dinheiro ou não queira contribuir.

Outra dúvida importante diz respeito ao uso de celulares e máquinas fotográficas. A Lei proíbe a utilização no interior da área naturista de aparelhos celulares, câmeras fotográficas, gravadores e/ou qualquer outro aparelho eletroeletrônico que possa captar imagens das pessoas presentes no local, de modo que, seja garantida a privacidade de todos os frequentadores da área naturista, salvo com anuência dos frequentadores que desejem ser fotografados.

Aos frequentadores presentes na área naturista é vedado ter comportamento sexualmente ostensivo e/ou praticar atos de caráter sexual ou obsceno, bem como, realizar propostas inconvenientes de conotação sexual, podendo ser penalizado, inclusive, nas penas do crime previsto no art. 233 do Código Penal Brasileiro.

Erick Issa e as belezas de Massarandupió (Fotos: Acervo Pessoal/Erick Issa)

Também é proibido estacionar ou circular na área da praia em qualquer tipo de veículo motorizado; descumprir a legislação de proteção ambiental em vigor, provocando prejuízos ou danos à flora, à fauna, águas fluviais e dunas do espaço naturista e seu entorno; utilizar aparelhos sonoros em volumes que possam interferir na paz e tranquilidade alheias; satisfazer necessidades fisiológicas fora dos locais a isso destinados; e permanecer parcial ou totalmente vestidos, ocasionando constrangimentos às pessoas nuas.

Você ainda deve estar curioso para saber quem pode ou não visitar a área naturista. Pois bem! De acordo com a Prefeitura de Entre Rios, tem o direito de frequentar a área naturista, além dos usuários cadastrados na Federação Internacional de Naturismo e na Federação Brasileira de Naturismo, pessoas maiores de 18 anos ou menores, desde que devidamente acompanhados dos pais ou responsável legal.

Os únicos isentos da nudez na área naturista são os seguranças, os agentes policiais, o pessoal da estrutura de apoio, a guarda municipal, funcionários do projeto TAMAR e os representantes oficiais das esferas do Estado e/ou da mídia, quando em serviço devidamente comunicado à Associação. 

Vale destacar que o não cumprimento de qualquer Artigo da Lei implicará na expulsão imediata do infrator da área naturista, sendo aplicáveis ainda, outras sanções previstas na Legislação, de acordo com a conduta praticada. Por fim, ressalte-se que a Lei complementa o Decreto Municipal nº1.571, de 28 de julho de 1999, naquilo que ele for omisso, bem como, anula todas as disposições em contrário.

* Erick Issa
E aí, gostou de saber mais sobre a praia de naturismo? Conta pra mim se você já viveu essa experiência ou se toparia ficar em contato com a natureza da forma que veio ao mundo? Estou disponível pelo instagram @issabordo e também no www.issabordo.com.br.





Fonte: iBahia