Novembro laranja: especialista alertam sobre o combate ao zumbido


Durante todo o mês de Novembro é realizada a Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido, conhecida como Novembro Laranja, que tem como objetivo alertar sobre a saúde dos ouvidos. O sintoma, que não é uma doença e vem crescendo cada vez mais, atinge todas as faixas etárias e pode estar atrelado a uma perda auditiva na grande maioria dos casos. Cerca de 28 milhões de brasileiros tem algum grau de deficiência auditiva ou sofre com zumbido.

O zumbido, também conhecido como Tinnitus, é a percepção de um som nos ouvidos ou na cabeça sem que tenha sido gerado por uma fonte sonora causando incômodo ao portador. Ele pode ser causado por diversos fatores, tais como: lesões auditivas, que podem ser secundárias ao uso de fones de ouvido – muito utilizado durante a pandemia em atividades online -, estresse e alterações emocionais devido ao isolamento social, disfunções metabólicas, doenças neurológicas, alterações hormonais e cardiovasculares, alterações musculares na região de cabeça e pescoço, alterações da ATM (articulação da mandíbula), além de estar associado a uma dieta com consumo excessivo de cafeína e álcool. Fumantes também têm mais chances de ter o zumbido.

Para uma descoberta específica do quadro de zumbido, é preciso uma atuação multiprofissional para identificar a causa do problema e tratá-lo corretamente. Em casos mais graves, é possível diminuir os sintomas através de tratamentos que envolvem vários profissionais, a exemplo do otorrinolaringologista e fonoaudiólogo. 

Para a fonoaudióloga, Anandrielle Bárbara Ferreira dos Santos, da Sonora Centro Auditivo, o problema do zumbido pode variar de pessoa para pessoa e, por isso, o diagnóstico preciso é essencial para a escolha do tratamento que vai do uso de terapias alternativas e acupuntura até a colocação de aparelhos auditivos. “Na Sonora, possuímos diversos aparelhos auditivos que podem ajudar a controlar o zumbido a partir da introdução de amplificação e da Terapia do Som – que reproduz uma gama de sons de alívio como ruído branco e sons suaves como o oceano. Na grande maioria dos casos, o zumbido pode estar atrelado a uma perda auditiva”, afirma Anandrielle.

De acordo com o otorrinolaringologista, Dr. Thiago Alcântara, o mês é de suma importância para alertar as pessoas que recorram a um diagnóstico médico, realizando um exame completo com apuração audiológica, e fazer o tratamento correto. “Cada zumbido é tratado de forma individual. Não são todas as pessoas que se sentem desconfortáveis, mas é sempre importante buscar avaliação especializada. A partir disso, será realizada uma avaliação através de exames físicos, auditivos e em alguns casos também podem ser solicitados exames de sangue ou de imagem”, explica Dr. Thiago.





Fonte: iBahia