Caso Izabelly: Perícia descarta reação alérgica a medicamento como causa da morte

A Perícia Oficial de Alagoas informou, na manhã desta quinta (6), que a menina Izabelly Torres dos Santos não morreu em decorrência de causa externa. O exame de necropsia feito no corpo da menina de sete anos excluiu a possibilidade da morte ter sido provocada por reação alérgica a medicamentos. A família da menor alegava…

A Perícia Oficial de Alagoas informou, na manhã desta quinta (6), que a menina Izabelly Torres dos Santos não morreu em decorrência de causa externa. O exame de necropsia feito no corpo da menina de sete anos excluiu a possibilidade da morte ter sido provocada por reação alérgica a medicamentos.

A família da menor alegava que ela teria morrido após receber medicação na UPA do Tabuleiro. De acordo com o perito médico legista Avelar Holanda, durante o exame cadavérico, não foi encontrado sinais de que a medicação (dipirona) tomada pela criança durante atendimento médico tenha sido a causa do óbito. Essa suspeita foi excluída ao término dos exames no cadáver da criança.

A menina Izabelly Torres teve uma morte súbita no domingo (2) às cinco horas da tarde, após dar entrada no Hospital Geral do Estado, apresentando um quadro infeccioso. Mas, o corpo dela só chegou ao IML quase 24 horas após o óbito, as duas horas da tarde da segunda-feira (03).

A equipe do IML então prestou todas atividades de atuação técnica em relação ao caso para tentar confirmar o diagnóstico e esclarecer a causa da morte. Com a causa externa excluída, a equipe fez coleta de amostras de material biológico da criança para ser analisado em laboratório.

Esse material coletado pelo IML foi enviado ao Serviço de Verificação de Óbito do Estado (SVO) para que o quadro clínico da criança continue sendo investigado.

Fonte: Alagoas24horas