Cuidados de verão: saiba os riscos do uso prolongado do biquíni molhado



Você também é daquelas que aproveita a estação mais quente do ano ao máximo?! Então, saiba que o uso prolongado do biquíni molhado pode prejudicar a sua saúde íntima. Mas, calma! Há maneiras de se prevenir e quem vai nos ajudar é o ginecologista Alexandre Amaral. Em um bate papo com o iBahia, o especialista explicou todos os cuidados necessários para impedir a proliferação de fungos e também doenças íntimas, que são responsáveis por corrimentos e irritações.

Segundo Dr. Amaral, o uso da roupa úmida em temperaturas mais altas pode causar inúmeros problemas. Dois deles são: a candidíase e a vaginose bacteriana. 

A candidíase tem como sintomas: coceira intensa, vermelhidão e inchaço na região genital, placas esbranquiçadas na vagina, corrimento, etc. Já vaginose bacteriana, provoca: coceira vaginal  e  corrimento branco e espesso com cheiro forte.

Mas, tudo pode ser evitado. Veja abaixo as dicas do médico sobre o assunto: 

Existem algumas formas simples de evitar a candidíase e vaginose bacteriana. Entre elas, estão o uso de roupas secas e a redução do tempo com o biquíni molhado. Ainda segundo o especialista, é bom evitar os tecidos pesados – como jeans. O ginecologista recomenda ainda a redução do consumo de alimentos que contém açúcares e carboidratos.

Outra regra básica é não compartilhar sabonetes, peças íntimas e toalhas. E durante o verão, abuse de roupas com tecidos leves, feitas de algodão. Evite usar látex, lycra e peças muito justas para não abafar a área íntima. 

O tratamento da candidíase pode ser feito com medicações, tanto via oral quanto local. A maioria é indicada por um ginecologista. Algumas dúvidas surgem sobre o período de tratamento, e dentre as recomendações médicas estão a abstinência sexual.

“É muito importante não se automedicar quando a candidíase aparece, pois apesar de ter sintomas muito característicos, pode se tratar de um outro tipo de infecção. Além disso, o medicamento mal administrado pode desequilibrar a flora vaginal e causar uma vaginose bacteriana ou ainda, uma resistência do fungo ao tratamento, ocasionando a candidíase de repetição”, esclarece Alexandre.

Uma dica fundamental para a prevenção é o uso dos sabonetes com pH neutro, optando sempre por calcinhas de algodão com tecidos leves e que possibilitem a ventilação. 

Por isso, antes de curtir e aproveitar a época ‘mais soteropolitana do ano’, nossa recomendação é realizar exames preventivos regularmente, para garantir a saúde e o bem-estar. 





Fonte: iBahia