Está sempre de fone? Saiba os cuidados que você deve ter com a audição



Como você cuida do seu ouvido? Existem diversas razões que levam uma pessoa a ter infecções e até mesmo perder a audição ou desenvolver algum tipo de deficiência. Muitos desses fatores estão ligados a maus hábitos, como o uso de fones de ouvido por muito tempo em um volume muito intenso, que é hoje a maior causa de perda auditiva no mundo. 

E com a chegada do verão e o período de férias, algumas doenças se tornam recorrentes, como a otite de verão ou otite dos nadadores. De acordo com a fonoaudióloga da Sonora Centro Auditivo Fabiana Damasceno, é preciso ter muita atenção com a umidade da orelha. Para preservar a saúde dos ouvidos, a especialista reuniu algumas dicas e hábitos preventivos que são essenciais:

  • Limpe corretamente sua orelha

Os cotonetes não devem ser usados no ouvido, pois acabam empurrando a cera fazendo uma rolha de cerume ou retirando a cera em excesso, deixando a orelha sem proteção. “A cera presente nos ouvidos tem um papel muito importante de proteção e não deve ser retirada dessa forma. O corpo normalmente cuida da remoção da cera e o uso das hastes pode prejudicar sua audição”, destaca.

  • Atenção ao usar fones de ouvido!

O uso excessivo de fones de ouvido corresponde a maior causa de perda auditiva no mundo. O manuseio prolongado desse tipo de aparelho durante a pandemia de covid, com home office e ensino remoto, além de maiores períodos em frente às telas por conta do isolamento social, ampliaram os riscos de problemas de saúde no futuro.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), uma em cada quatro pessoas viverá com algum grau de perda auditiva até 2050. A estimativa é que a perda de audição cumulativa provocada pelos novos hábitos atinja 50% da população entre 12 e 35 anos de idade.

  • Evite o excesso de ruídos por muito tempo

Uma das principais causas da deficiência auditiva é a Perda Auditiva Induzida por Ruídos (PAIR). “Todos os dias somos expostos a diversos ruídos como trânsito, colegas conversando, reformas, pessoas gritando e até mesmo músicas altas”, comenta a fonoaudióloga, que orienta aos pacientes reservar períodos de descanso para os ouvidos, principalmente após longas exposições a um ambiente ruidoso.  Também é importante utilizar protetores auriculares em locais de trabalho onde o ruído fica acima do permitido.

  • Cuidado com a umidade da orelha

Ao nadar, o contato com a água pode fazer com que bactérias e fungos cheguem ao ouvido e causem uma infecção, e a cera é necessária para proteger o órgão, explica Fabiana.

“Em geral, os primeiros sinais que a pessoa manifesta são dor intensa (em quatro ou seis horas após o contato), seguida de ouvido seco e, em alguns casos, secreção. Além de todo cuidado que se deve ter com uma infecção, é preciso evitar passar as mãos na região, porque pode levar ainda mais bactérias”. Para prevenir esse tipo de problema, é importante não passar um longo período dentro da água, enxugar os ouvidos com a ponta da toalha, sem esfregar, após nadar, e, para quem tem otites recorrentes, é recomendável utilizar protetores auriculares de silicone.

  • Assoe o nariz com mais frequência

A fonoaudióloga recomenda assoar o nariz ao menos duas vezes ao dia a fim de prevenir a entrada de secreções que causam a perda auditiva, a pressão nos ouvidos ou os zumbidos. “Isso deve ser feito de forma delicada para evitar o rompimento de vasos sanguíneos”.

  • Cuidados com o aparelho auditivo

Cuidar do aparelho auditivo, para quem possui algum tipo de deficiência na audição, também é uma maneira de prevenir problemas. Por isso, é importante fazer uma limpeza diária para evitar acúmulo de poeira e oleosidade, usar desumidificadores para uma limpeza mais profunda e sempre ajustar o volume dos aparelhos na metade ou inferior.

“Aparelhos auditivos são equipamentos eletrônicos extremamente avançados que possuem componentes delicados que captam, ampliam e transmitem o som para pessoas com deficiências de vários graus. Muitos também possuem conexão sem fio com televisores e celulares, reduzem ruídos e até tratam problemas de zumbido”.





Fonte: iBahia