Ilhéus e Itabuna recebem ajuda de força-tarefa para atender vítimas de enchentes


A Defensoria Pública da União (DPU) e a Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE/BA) se uniram em uma força-tarefa para auxiliar a população afetada pela chuva no sul do estado, em dezembro.

As instituições organizaram ações itinerantes que terão início nesta segunda-feira (17), em Itabuna, e na quarta-feira (19), em Ilhéus. 

O objetivo da iniciativa é atuar nas situações de emergência, atendendo as demandas jurídicas mais imediatas das vítimas, como o recebimento de auxílios governamentais. 

Entre as demandas que podem ser atendidas pela DPU estão saque de FGTS por situação de calamidade pública; benefícios assistenciais (BPC/LOAS e auxílio emergencial); benefícios previdenciários como auxílio-doença; pensão por morte; e aposentadorias.

Já a Defensoria Estadual pode ajudar a população a obter 2ª via de documentos, como certidões de casamento e de nascimento, gratuidade na 2ª via do RG, demandas de saúde, entre outras. 

Segundo o cronograma, a força-tarefa atuará em Itabuna, de 17 a 24 de janeiro. Nos primeiros dias serão realizadas visitas aos abrigos que têm acolhido as famílias desalojadas. Nesses locais, serão promovidas rodas de conversas para registrar as principais demandas e responder as dúvidas da população a respeito das atividades das defensorias. 

Após as reuniões, serão agendados os atendimentos individuais, prestados na sede da DPE/BA em Itabuna, localizada na Avenida Nações Unidas, 732, Centro, entre os dias 22 e 24 de janeiro.

Em Ilhéus, os atendimentos vão ocorrer de 19 a 21 de janeiro. O cronograma prevê atividades de capacitação da rede e equipamentos de assistência social do município, como os Centros de Referência da Assistência Social (CRAS e CREAS), para que possam auxiliar a população no acesso a documentação e benefícios assistenciais. 

Atendimentos individuais pré-agendados serão realizados na sede da DPE/BA , na Rua Rotary, 255, Edf Office, no bairro da Cidade Nova. Visitas às comunidades indígenas Tupinambá de Olivença, da Aldeia Igalha, assim como nas comunidades Vila Cachoeira, Salobrinho e Banco da Vitória e na comunidade quilombola de Banco do Pedro também estão previstas.





Fonte: iBahia