Prefeito de Salvador diz que pode abrir mão da declaração dos pais na vacinação infantil



O prefeito de Salvador afirmou que pode abrir mão da exigência de autorização dos pais para vacinar as crianças contra a covid-19, nesta sexta-feira (14). A notícia foi divulgada por Bruno Reis, durante uma coletiva de imprensa.

Na ocasião, ele falou que tudo depende da aglomeração no dia de vacinação. A determinação de necessidade da autorização é do Ministério da Saúde. Na última semana, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou o esquema de vacinação

“Se tiver risco de aglomeração, se por conta disso tiver grandes filas, eu vou abrir mão dessa exigência. Pode vir Ministério da Saúde ou quem for adotar as providências que acharem cabíveis, mas é irrazoável”, disse o gestor municipal.

A previsão de vacinação das crianças de 11 anos era no sábado (15). Porém, o lote com as doses pediátricas da Pfizer tiveram um atraso e só devem chegar na Bahia durante à tarde. Além de criticar o pedido de autorização dos pais, Bruno também desaprovou a necessidade das crianças terem que esperar por 20 minutos, para observação de reações adversas.

“Infelizmente, a gente lamenta as dificuldades que são colocadas e os embaraços nesses processos, que acabam dificultando a vida das pessoas e a logística da prefeitura. Imagine vocês que as crianças vão ter que levar uma autorização. Além do pai, da mãe ou do responsável legal estar presente ainda tem que ter uma declaração escrita, e a criança ainda tem que aguardar por 20 minutos, após a aplicação da dose, para ver se vai ter uma reação adversa e só em seguida ser liberada”.

Cadastramento no SUS
Para ter acesso a primeira dose da vacina contra a covid-19, mais de 6 mil crianças tiveram que realizar um cadastro no Sistema Único de Saúde (SUS) de Salvador.  A medida viabiliza inclusão dos menores na lista de habilitados para a vacinação e o planejamento da estratégia voltada para o público de 05 a 11 anos.

A atualização cadastral pode ser feita de forma online no site da Prefeitura ou presencialmente nas 155 unidades básicas da rede municipal. Aquelas que já realizaram o recadastramento serão introduzidas automaticamente na lista de aptos para a imunização. Até o momento, mais de 155 mil crianças estão cadastradas e fazem parte do público alvo da vacinação em Salvador.

Transferência de domicílio e 1ª via do cartão SUS – Os pais das crianças residentes da capital e que tiverem o cartão SUS vinculados a outro município ou que necessitem emitir a 1ª via do documento deverão realizar o serviço presencialmente nas Prefeituras-Bairros, mediante agendamento prévio pelo site Hora Marcada. O fluxo, bem como a documentação, pode ser conferida através do link da Prefeitura.





Fonte: iBahia