Sociedade Brasileira de Pediatria se manifesta sobre vacinação em crianças



Em nota divulgada nesta quinta-feira (6), a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) reiterou o posicionamento favorável a vacinação de crianças, de cinco a 11 anos, contra covid-19. 

No documento, a SBP afirmou que a “população não deve temer a vacina, mas, sim, a doença que busca prevenir”. Segundo a Sociedade, a vacinação do público infantil é fundamental para reduzir o número de mortos nessa faixa etária por conta da Covid-19.  Além disso, a instituição diz que os estudos realizados com a vacina apontam “eficácia e segurança” para a população pediátrica. 

“A vacinação desse público é estratégia importante para reduzir o número de mortes por conta da covid-19 nessa faixa etária, no Brasil, cujos indicadores são mais expressivos do que em outras nações. Até o momento, os estudos realizados apontam a eficácia e a segurança da vacina aplicada na população pediátrica”, diz um dos pontos da nota. 

No manifesto, a Sociedade Brasileira de Pediatria ainda lembra, que a maioria da população brasileira é favorável a vacinação das crianças, conforme expresso em consulta pública realizada pelo Ministério da Saúde. Por fim, o órgão diz que negar este benefício ou desestimular a adesão dos pais e responsáveis pode custar vidas. 

“A vacina previne a morte, a dor, sofrimento, emergências e internação em todas as faixas etárias. Negar este benefício às crianças sem evidências científicas sólidas, bem como desestimular a adesão dos pais e dos responsáveis à imunização dos seus filhos, é um ato lamentável e irresponsável, que, infelizmente, pode custar vidas”, conclui a SBP.  

Consulta Pública 

O Ministério da Saúde promoveu uma audiência pública para discutir a vacinação contra Covid-19 em crianças com idade de 5 a 11 anos. 

Como resultado, a maioria dos votantes se manifestaram contra a necessidade de apresentar prescrição médica para vacinação e não concordou com a obrigatoriedade da vacina. Disponível por 11 dias, a consulta foi respondida por 99.309 pessoas. 

O ministério tem se posicionado a favor de que a vacinação no público infantil ocorra mediante a apresentação de prescrição médica e consentimento dos pais. 





Fonte: iBahia