Auxílio Brasil influencia na confiança do consumidor


O programa Auxílio Brasil, além de dar um apoio aos brasileiros que mais precisam, também trouxe efeitos na confiança do consumidor.

Nesse sentido, houve recentemente a divulgação do ICC (Índice de Confiança do Consumidor), a partir da Ibre FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas).

Neste novo indicativo, então, foi possível ver um aumento de 2,9 pontos neste mês de fevereiro, o que totaliza em 77 pontos. Isto é, o maior ICC que se registrou desde o mês de agosto de 2021.

Esse resultado pode ter resposta a partir do aumento de público e de benefício do programa. Dessa forma, o Auxílio Brasil chega a 18 milhões de brasileiros com um tíquete mínimo de R$ 400.

Pesquisadora afirma influência do Auxílio Brasil

De acordo com a coordenadora da pesquisa, Viviane Seda Bittencourt, os novos dados indicam que os cidadãos estão mais otimistas.

“Em fevereiro, houve melhora da confiança dos consumidores influenciada por uma avaliação menos negativa sobre a situação atual e por um aumento das expectativas em relação aos próximos meses”, explicou.

Além disso, a especialista também indica que mais brasileiros pretendem comprar bens duráveis como geladeiras e fogões, por exemplo. Para ela, então, o Auxílio Brasil ajudou neste contexto.

“O resultado positivo pode ter sido influenciado pelo Auxílio Brasil nas faixas de renda mais baixas, perspectivas mais favoráveis sobre o mercado de trabalho e situação econômica que voltaram a ficar mais otimistas”, defendeu.

Contudo, é possível que este cenário se altere, tendo em conta a crise econômica e sanitária que ainda se enfrenta. Ademais, para Viviane, apesar do aumento, o ICC ainda está baixo, para os parâmetros ideais.

Como estes índices mudaram nos últimos meses?

Neste mês de fevereiro, o ISA (Índice de Situação Atual) teve um aumento de 1,5 pontos. Isto é, trata-se de uma forma de medir a forma que o consumidor se sente acerca de como o mercado de trabalho e os negócios se encontram.

Além disso, o IE (Índice de Expectativas) teve uma alta de 3,8 pontos. Assim, juntos do ISA, estes valores mostram o ICC, que diz respeito às perspectivas do consumidor.

Indo adiante, o índice de satisfação sobre finanças pessoais também subiu, com mais 1,7 ponto.

Dessa forma, foi possível perceber que neste mês de fevereiro, muitos indicadores tiveram uma melhora. Contudo, apesar de muitos desses índices estarem em sua melhor situação desde agosto de 2021, ainda estão baixos.

Portanto, para os especialistas, estes índices precisam melhorar ainda mais. Nesse sentido, programas sociais como o Auxílio Brasil poderão ser importantes.

Economia brasileira vem se recuperando

De acordo com especialistas do setor econômico, alguns indicadores do PIB (Produto Interno Bruto) tiveram certa melhora nos últimos dias.

Contudo, esta situação, apesar de positiva, ainda está longe de se tornar o ideal para a economia brasileira. Isso ocorre porque a pandemia da Covid-19 segue em curso e deixará seus impactos por um bom tempo mesmo quando se encerrar.

Ademais, em conjunto da questão sanitária, algumas decisões políticas tiveram grande impacto na economia. Assim, é possível ver um contexto em que o número de desemprego, de fome e insegurança alimentar estão altos.

De acordo com especialistas, ainda, as crises econômica e sanitária têm impacto direto nas classes D e E, ou seja, 51% dos brasileiros. Por isso, medidas como o Auxílio Brasil, que se direcionam exatamente para este público, poderão minimizar estes efeitos.

Programas como o Auxílio Brasil são essenciais

Segundo especialistas da área econômica, programas sociais são importantes para a distribuição de renda e, assim, diminuição da desigualdade social. Isto é, quando poucos possuem muito e muitos possuem pouco.

Além disso, é importante que existam investimentos em áreas como a educação, principalmente, quando se fala de ensino básico e fundamental. Em conjunto, iniciativas que promovam a qualificação e inserção profissional dos brasileiros são essenciais.

Nesse sentido, o curso sobre Microempreendimento Individual para beneficiários do Auxílio Brasil pode se encaixar nesta categoria, por exemplo.

Por fim, é necessário que existam ferramentas de apoio social, como creches públicas, de forma que mães consigam trabalhar.

O que é o Auxílio Brasil?

O Auxílio Brasil se iniciou em novembro de 2021, depois de substituir o Bolsa Família depois de 18 anos de duração.

Assim, este se pretende um programa de transferência de renda para famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza do país. Desse modo, pretende-se que estes brasileiros consigam melhorar sua situação de vida.

Ademais, a gestão da medida fica para o Ministério da Cidadania, responsável por enviar os recursos para pagamento. Já a Caixa Econômica Federal deve executar os depósitos do Auxílio Brasil para os participantes.

Quais os Objetivos do Auxílio Brasil?

De acordo com o governo, os objetivos do programa são:

  • ?Promover a cidadania com garantia de renda
  • Apoiar, por meio dos benefícios, a articulação de políticas aos beneficiários, com vistas à superação das vulnerabilidades sociais das famílias.
  • Promover, de forma prioritária, o desenvolvimento das crianças e dos adolescentes, por meio de apoio financeiro a gestantes, nutrizes, crianças e adolescentes.
  • Promover o desenvolvimento das crianças na primeira infância, com foco na saúde e nos estímulos às habilidades físicas, cognitivas, linguísticas e socioafetiva.
  • Ampliar a oferta do atendimento das crianças em creches privadas.
  • Estimular crianças, adolescentes e jovens a terem desempenho científico e tecnológico de excelência.
  • Estimular a emancipação das famílias em situação de pobreza e extrema pobreza.

Quem pode participar?

Levando em fala que o programa se destina aos brasileiros mais vulneráveis, é necessário que estes sejam:

  • Famílias em situação de ou extrema pobreza.
  • Grupos familiares em condição de pobreza. Contudo, estes também devem ter, em sua composição, gestantes, nutrizes (mães que amamentam), crianças, adolescentes e jovens entre 0 e 21 anos incompletos.

Além disso, é necessário possui inscrição no Cadastro Único, com seus dados atualizados há, no mínimo, dois anos.

Nesse sentido, sempre que houver alguma mudança na situação da família esta deve se dirigir ao CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) para alterar a informação. Isto é, trata-se de um nascimento, novo emprego, falecimento ou mudança de endereço, por exemplo.

Contudo, é importante lembrar que apenas cumprir com estes critérios não será o suficiente. Isso ocorre porque o Ministério da Cidadania apenas fará a inclusão de novos beneficiários se o governo tiver recurso disponível.

Veja o que é sucesso na Internet:

Fonte: Notícias Concursos