Com morte de Paulinha Abelha, Calcinha Preta perde segundo vocalista em menos de 4 meses



A banda Calcinha Preta, que já existe há 27 anos, perdeu o segundo vocalista em menos de 4 meses com a morte de Paulinha Abelha, na noite desta quarta-feira (23). Em novembro, o cantor José Aparecido da Silva, conhecido como Sidney, foi assassinado. Ele foi o primeiro vocalista da banda.

Além de Sidney e Paulinha, o grupo já perdeu o baixista e diretor artístico em 2019. Gilson Pereira de Almeida, conhecido como Gilson Batata, morreu em Caicó, no Rio Grande do Norte. A polícia informou na época que Gilson foi vítima de um infarto agudo do miocárdio.

O assistente administrativo da banda, Wesley Cristan da Silva Santos morreu em 2014 em um acidente de carro.

Paulinha foi hospitalizada no dia 11 de fevereiro em um hospital de Aracaju após chegar de uma turnê com o grupo Calcinha Preta. No dia 14, o quadro clínico da artista piorou e ela teve de ser submetida a diálise.

O tratamento de diálise consiste em um processo de filtração do sangue utilizado para eliminar o excesso de líquidos e as substâncias tóxicas no organismo do paciente portador de insuficiência renal avançada, aguda ou crônica. 

No último dia 17, a atualização clínica da artista não foi das mais amistosas. O boletim do Unimed Sergipe informou que a cantora entrou em coma após uma piora. Paulinha seria transferida para um hospital especializado, mas seu quadro não era estável o suficiente. 

Em nota, o Hospital Primavera em que a cantora estava internada, confirmou o falecimento às 19h26, em “decorrência de um quadro de comprometimento multissistêmico”. 

Segundo o comunicado, nas últimas 24 horas Paulinha Abelha apresentou um agravamento de lesões neurológicas, constatadas em ressonância magnética, associada a coma profundo. 

Leia mais sobre Música no iBahia.com.





Fonte: iBahia