‘Não tinha inimigos’, diz mãe de confeiteiro morto a tiros em Salvador



“Meu filho não tinha inimigos. Você pode sair de ponta a ponta perguntando, meu filho não tinha inimigos, era um menino querido”, disse a mãe de Tom, Maria das Graças da Silva.

De acordo com o g1 Bahia, Tom estava com a mãe e o padrasto horas antes de ser encontrado morto, no bairro de Tancredo Neves. O crime aconteceu quando o confeiteiro voltava para casa, no Trobogy. 

“A gente não sabe se devido ao horário ele conhecia o caminho e sabia que ele ia chegar mais rápido em casa devido ao horário que ele saiu lá do bairro, por ser a noite, mas essa informação não é precisa. O que a gente sabe é que meu irmão se foi e isso foi feito por um covarde”, afirmou o irmão do confeiteiro, Ismael Silva de Oliveira.

Os amigos da vítima suspeitam que Wellington sofreu uma tentativa de assalto, por conta de uma “motocicleta chamativa”.

A sobrinha dele, Juliana dos Anjos, também comentou que não entendeu o motivo da escolha do caminho de Wellington. 

“A gente não sabe por qual motivo esse caminho de Canabrava, o que ele estava fazendo lá, porque normalmente ele vem pela 29 de Março. Então a gente não sabe se realmente o crime aconteceu lá ou se foi só o corpo que foi deixado lá. Não sabe se foi em outro lugar que aconteceu”, disse a sobrinha da vítima, Juliana dos Anjos.

Segundo a Polícia Militar, Tom, como era conhecido, chegou a ser socorrido para o Hospital  Professor Eládio Lasserre, mas não resistiu aos ferimentos. Os familiares só souberam da morte do confeiteiro na segunda-feira (21).

“Eu mandei mensagem para ele: ‘Já chegou, mãe? Já chegou?’ E daí para cá não respondeu mais. Aí como ele me disse que o telefone estava descarregando, eu achei que foi isso. [Fiquei] ligando, ligando para ele: ‘Está aonde criatura de Deus? Você dormiu aonde criatura de Deus?'”, relatou Maria das Graças da Silva.

“Eu só recebi o baque da notícia. Meu filho é um menino bom”, lamentou.

A Polícia Civil investiga a autoria e motivação do crime. A vítima não era casada e não tinha filhos. 

Relembre o caso 

Um homem morreu ao ser baleado na região do Estádio Manoel Barradas, o Barradão, localizado no bairro de Canabrava, em Salvador, na noite do domingo (20). Até a manhã de segunda-feira (21), ninguém foi preso.

A vítima foi identificada como Wellington Oliveira, conhecido como Tom, um confeiteiro e influenciador digital, que somava mais de 14 mil seguidores nas redes sociais. 

Leia mais sobre Salvador em iBahia.com. 





Fonte: iBahia