Saiba como estão os times do ‘The Voice +’ após segundo dia de ‘Audições às Cegas’



Na tarde do último domingo (7), o “The Voice +” selecionou novas vozes com mais de 60 anos para os times dos técnicos. Com a as adições, Carlinhos Brown, Fafá de Belém e Toni Garrido somam seis talentos em cada time, quanto Ludmilla conta com cinco vozes na sua equipe. 

Conheça os novos aprovados na competição:  

Jhusara – 
68 anos | Rio de Janeiro – RJ A música está presente em sua vida desde pequena. Seu pai foi compositor de marchinhas de carnaval, muitas vencedoras do concurso promovido por Chacrinha. Aos 12 anos, ela começou a cantar profissionalmente e, aos 17, formou o Trio Ternura com os irmãos. Desde 2017,  segue cantando sozinha em bares e eventos. Cantou a música ‘Enredo do Meu Samba, de Jorge Aragão e Yvonne Lara, e agora Jhusara é Time Toni.  

Clarisse Grova – 
63 anos | Rio de Janeiro – RJ Produtora de jingles, Clarisse trabalhou como backing vocal de Beth Carvalho por 10 anos e foi a voz de vinhetas famosas da publicidade nacional. A música entrou em sua vida ainda criança, quando começou a tocar piano, aos 6 anos, por incentivo da mãe. Aos 17, começou a participar de bailes. Com a canção “Corsário”, de Aldir Blanc e João Bosco, Clarisse entrou no reality e faz parte do Time Fafá.  

Elizeth Rosa – 
68 anos | São Paulo – SP Elizeth se reunia com os amigos e família para cantar sempre que possível. Se afastou da música ainda jovem, mas retomou sua paixão aos 27 anos, quando ficou viúva. Na época, passou a cantar na Escola de Samba paulista Vai Vai, onde conheceu o segundo marido, Tobias, ex-presidente e puxador de samba da escola. Após se apresentar com a música “Mineira”, Elizeth entrou para o Time Ludmilla.  

Wander Borges – 
68 anos | Brasília – DF Wander gosta de compor e escrever poesias. Aos 11 anos, aprendeu a tocar violão sozinho e aos 18, ingressou no teatro, onde começou uma banda. Quando se casou, deixou a música de lado e se dedicou ao emprego de desenhista e projetista. Atualmente, é motorista de aplicativo, canta em Igrejas e centros espíritas. Há 8 anos, lançou um CD autoral e diz que o ‘The Voice+’ é o ápice de sua vida. No palco da atração, Wander cantou “Balada do Louco” e, agora, faz parte do Time Toni.  

Walter Ramalho – 
66 anos | Quixadá – CE Foi na lavoura que Walter viu sua paixão pela música crescer. Seu pai também fazia instrumentos sob encomenda e, aos 8 anos, Walter já tocava violão. Ele nunca teve a chance de seguir carreira, mas há cerca de 10 anos começou a gravar vídeos e passou a ser chamado para alguns eventos. Agricultor, é com a enxada em mãos que ele também é compositor. Suas referências musicais são Alceu Valença, Fagner, Geraldo Azevedo, Roberto Carlos e Zé Ramalho. Ao som de “Entre a Serpente e a Estrela (Amarillo By Morning)”, Walter entrou no ‘The Voice+’ e integra o Time Brown


Cris Nunes – 
63 anos | Santos – SP Quando criança, cantava acompanhando o pai no cavaquinho. Mas o que começou como brincadeira, logo se tornou algo mais sério ao participar de concursos de música infantis e festivais na escola. Com 18 anos, Cris entrou para a sua primeira banda, transitou por algumas por um tempo, até se encontrar na Banda Internacional Betinho, onde permaneceu por 15 anos como vocalista fazendo shows pelo Brasil. Se apresentou no ‘The Voice+’ com a música “É Luxo Só”, de Ary Barroso e Luiz Peixoto, e agora Cris é Time Brown.   

Marcília de Queiroz Pinheiro – 
89 anos | Santos Dumont – MG Aposentada da prefeitura de Santos Dumont, Minas Gerais, Marcília trabalhava na secretaria da rádio Cultura de sua cidade quando, aos 19 anos, improvisou durante o atraso do músico da rádio e cantou enquanto ele não chegava. Passou a ser a cantora oficial do hino da cidade, além de ser a voz das solenidades do município. No palco do ‘Voice+’, se apresentou com a canção “Alguém Como Tú” e passou a integrar o Time Fafá.  

Wilma de Oliveira – 
73 anos | São Paulo – SP Com 7 CDs de música brasileira gravados no Japão, onde morou por 32 anos, Wilma começou a cantar aos 7 anos no coral da escola. Aos 21 anos, passou a integrar o quarteto conhecido como Tom Quatro. Para se dedicar a nova empreitada, largou a faculdade de contabilidade e passou a fazer shows em uma casa japonesa, em São Paulo, onde um empresário mexicano se encantou pelo quarteto e convidou o grupo para fazer shows no México. Após 4 anos morando no país, regressou ao Brasil, quando foi convidada para fazer shows no Japão. Voltou a morar no Brasil em 2018, mas continua dando aulas online. Com o ‘The Voice+’, ela quer ser conhecida no Brasil. Após cantar “Verde”, Wilma entrou para o Time Toni.  

Vando Lipert – 
62 anos | Porto Alegre – RS Vando aprendeu a tocar violão e órgão na Igreja ainda criança, mas foi com 28 anos que passou a se apresentar em bailes até integrar o Conjunto Impacto, do qual fez parte por 10 anos. Em seguida, tocou em uma banda de country rock por 8 anos. E, aos 50, resolveu montar sua banda atual, a Black Bull Band, que já tem um CD lançado. No repertório do grupo, Creedence Clearwater, Elvis Presley, The Mamas & The Papas, Kansas entre outros grandes nomes da música internacional. “Dust In The Wind” foi a canção escolhida por Vando nas audições. Ele está no Time Ludmilla

Fhernanda Fernandes – 
65 anos | Rio de Janeiro – RJ Fhernanda tem 41 anos de carreira, já lançou disco na Europa, já se apresentou no Teatro Rival e fez parceria com Fafy Siqueira. A música faz parte de sua vida desde sempre, seus pais se conheceram em uma festa de Ary Barroso e, assim como a mãe, Fhernanda toca cavaquinho. Com 17 anos, abandonou a faculdade de medicina para cantar e viver da música. Começou em festivais até chegar no MPB 80, da Globo, onde foi uma das finalistas. Lançou um LP, mas em seguida se afastou da carreira. Em 1989, retomou a música e resolveu se mudar para a França. Viajou por outros países do continente e com 36 anos voltou ao Brasil. Após cantar “Vou Deitar e Rolar (Qua Qua Ra Qua Qua)”, Fhernanda passou a integrar o Time Brown.  

Sueli Costa Gomes – 
60 anos | Curitiba – PR O amor pela música começou a partir do hábito de seu pai de reunir os filhos para cantar. Foi nas rodas em família que seu talento foi descoberto e, aos 11 anos, seu pai passou a levá-la para cantar nas rádios locais. Cantora, compositora e professora de canto e musicalização infantil, Sueli canta há 31 anos na banda Toque de Imaginação. Nos anos 90 gravou um CD gospel independente e, recentemente, em 2020, ganhou uma competição realizada em cruzeiros. Ela e o marido possuem um estúdio em casa, onde também gravam alguns jingles. No ‘The Voice+’, cantou “The Winner Takes It All” e, agora, está no Time Ludmilla.  

Ninah Jo – 
62 anos | Rio de Janeiro – RJ Na adolescência se dedicou ao futebol, handebol e arremesso de peso, sua vontade era participar das Olimpíadas Universitárias. Mas aos 15 anos, quando aprendeu a tocar violão, passou a ser muito requisitada para cantar nas rodinhas de amigos, que passaram a incentivá-la a se tornar cantora. Em 2015, lançou um CD com músicas autorais, músicas inéditas de outros compositores e releituras. Também já gravou uma música com Jorge Vercillo e cantou com o Padre Fabio de Melo. Antes da pandemia, ela fazia shows em alguns bares da zona sul do Rio e em teatros e centros musicais. Com a canção “Paciência”, Ninah entrou no Time Fafá.  

Ao todo, serão selecionadas 48 vozes, 12 em cada time, mas apenas uma levará pra casa o prêmio de R$250 mil e um contrato com a gravadora Universal Music.  

Veja como estão os times até o momento:
  

Time Brown
: Dionisya Moreira; Marina Tartarini; Acaciamaria; Fhernanda Fernandes; Cris Nunes; Walter Ramalho.     
Time Fafá: Arlindo Moita; Cássia Portugal; Atilio Ancheta; Ninah Jo; Marcília de Queiroz Pinheiro; Clarisse Grova.     
Time Ludmilla: Maurício Gasperini, Chico Aafa; Sueli Costa Gomes; Vando Lipert; Elizeth Rosa.  Time Toni: Lucinha Bosco; Alba Lirio; Narriman Senden; Wilma de Oliveira; Wander Borges; Jhusara.  





Fonte: iBahia