Investigada por morte de dono de pousada estava com carro alugado não devolvido



Foto: Reprodução / TV Bahia

Uma das investigadas pela morte de Leandro Troesch, dono da pousada Paraíso Perdido, em Jaguaripe, Maqueila Bastos, presa nesta quinta-feira (24), em Aracaju, capital de Sergipe, estava com um carro alugado em Belo Horizonte que não foi devolvido. A informação foi divulgada pela Polícia Militar, responsável pelo cumprimento do mandado de prisão.

Maqueila Bastos teve a prisão temporária decretada no dia 14 de março, assim como Shirley Figueiredo, viúva de Leandro e amiga da ex-detenta. 

“Ela estava utilizando o veículo que tinha um boletim de ocorrência por apropriação indébita, onde esse carro havia sido locado em Belo Horizonte e não foi devolvido. Tanto ela como o veículo foram conduzidos para delegacia”, disse o comandante de batalhão de radiopatrulha de Aracaju, tenente George Melo.

Leandro Troesch foi encontrado morto do 25 de feveiro, em um dos quartos da pousada de luxo Paraíso Perdido. Shirley era a única pessoa com o marido no momento da morte e afirmou a polícia que ele havia cometido suicídio. No entanto, dias depois do primeiro depoimento, ela fugiu e passou a ser considerada foragida. 

Já Maqueila conheceu Leandro quando ele deixou a prisão. O empresário não gostou da amizade da esposa com a ex-detenta e dez dias antes de morrer expulsou a estelionatária da pousada. 

Foto: Reprodução

A história de Leandro e Shirley com a polícia começa em 2001, quando os dois foram condenados por roubo e extorsão de uma mulher em Salvador. No entanto, eles só foram presos no ano passado. 

Mas não ficaram muito tempo na prisão. Shirley foi solta primeiro para cumprir prisão domiciliar e dois meses depois Leandro conseguiu o mesmo direito. 

Leia mais sobre Bahia em iBahia.com e siga o Portal no Google Notícias

 





Fonte: iBahia