Seduc afasta professor após denúncia de assédio sexual contra alunas

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) afastou um professor de língua portuguesa da Escola Estadual Padre Jefferson Carvalho, em Arapiraca, após um grupo de alunas formalizar denúncia de assédio sexual contra o docente. O caso repercurtiu nas redes sociais e algumas vítimas prestaram queixa na Central de Polícia de Arapiraca. Policiais do 3º BPM…

Reprodução

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) afastou um professor de língua portuguesa da Escola Estadual Padre Jefferson Carvalho, em Arapiraca, após um grupo de alunas formalizar denúncia de assédio sexual contra o docente.

O caso repercurtiu nas redes sociais e algumas vítimas prestaram queixa na Central de Polícia de Arapiraca. Policiais do 3º BPM estiveram, nesta sexta-feira, 25, na unidade escolar e conduziram as partes à delegacia para esclarecimentos.

Segundo as estudantes, o professor chegou a passar a mão nas partes íntimas de algumas alunas do ensino médio. Em outro caso, ele sugeriu que as garotas só iriam passar de ano caso tivessem um relacionamento amoroso com ele.

As alunas contam ainda que há anos o servidor público assedia as estudantes da escola. De acordo com elas, a direção da escola já foi avisada sobre o caso, mas nada foi feito sobre o assunto.

Por meio de nota, a Seduc informou que tomou conhecimento da denúncia e está apurando o caso. A pasta alegou que já afastou o servidor público das funções enquanto durar as investigações.

Confira nota na íntegra:

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que está apurando o caso que envolve a acusação de assédio por parte de um professor da Escola Estadual Padre Jefferson Carvalho, de Arapiraca, a um grupo de alunas do ensino médio da unidade e informa que o servidor em questão foi automaticamente afastado da escola de suas funções durante o processo de investigação, conduzido pelas autoridades competentes. A direção da unidade escolar também está a disposição das alunas e familiares acompanhando de perto o desenrolar dos procedimentos cabíveis para o momento.

Fonte: Alagoas24horas