Sem-teto agredido por personal trainer diz que sexo foi consensual: ‘Não me arrependo’



O sem-teto agredido por um personal trainer ao ser flagrado fazendo sexo com a esposa dele afirmou que a relação foi consensual. Em entrevista ao jornal Metrópoles, o baiano Givaldo Alves de Souza diz não ter se arrependido da situação e deu detalhes do encontro com Sandra Fernandes, no último dia 9, em Planaltina (DF).

Eu andava pela rua e ouvi um grito: ‘Moço, moço’. Olhei para trás e só tinha eu. E ela confirmou comigo dizendo: ‘Quer namorar comigo?’.”, contou.

Ao ouvir o pedido, o sem-teto ainda contra argumentou. “Moça, eu não tenho dinheiro, sou morador de rua. Não tenho dinheiro nem para te levar ao hotel. Então, ela disse: ‘Pode ser no meu carro’”, completar.

Na entrevista, Givaldo seguiu narrando a situação e aproveitou para fazer um alerta. “Quero dizer para ela: parabéns pelo o que ela é. Mas é preciso ter um certo cuidado ao se parar alguém. Ela me parou e aqui estou, sofri e estou me recuperando. Mas se é uma pessoa de má índole pode fazer muito mal a vida dela”.

O baiano também rebateu a versão do personal trainer, que afirma que a esposa foi vítima de estupro. “Deus me colocou em um lugar cercado por câmeras que comprovam não ter havido nada disso (estupro). Se fosse outro morador de rua, possivelmente já estaria preso”, disse, aliviado.

Um personal trainer de 31 anos é investigado por espancar um sem-teto em Platina, no Distrito Federal. O caso aconteceu na última quarta-feira (9), após o homem flagrar a esposa fazendo sexo dentro de um carro com a vítima. 

O marido agrediu o homem ao pensar que a esposa, de 33 anos, estava sendo estuprada, de acordo com o boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil. Ele também afirmou que a mulher enfrenta problemas psicológicos. 

No documento ainda consta que a esposa saiu com a sogra para tentar ajudar o sem-teto. No entanto, as duas se separaram durante o percurso. Ao perceber que a esposa não havia voltado, o marido saiu para procurá-la. 

O personal avistou o carro da esposa e, quando se aproximou, viu que a companheira fazia sexo com o sem-teto. O suspeito então começa a agredir o homem, já fora do veículo. Ele derruba o sem-teto no chão e dá socos e chutes. Durante as agressões, a mulher se deitou no chão e se ajoelhou. 

A polícia conduziu os três envolvidos ao Hospital Regional de Planaltina. Os dois homens estavam machucados e a mulher, em estado de choque.

Leia mais sobre Brasil em iBahia.com e siga o Portal no Google Notícias.





Fonte: iBahia