Cinco pessoas são indiciadas por morte de funcionário de pousada de luxo em Jaguaripe



Foto: Reprodução/TV Bahia 

A polícia concluiu nesta semana a investigação da morte de Marcel a Silva Vieira, conhecido como “Billy” e funcionário da pousada de luxo Paraíso Perdido, em Jaguaripe, na Bahia. 

Segundo informações da Polícia Civil, a informação foi divulgada hoje, mas o inquérito já foi encaminhado para o Ministério Público da Bahia (MP-BA) na última terça-feira (29). Ainda segundo a polícia, cinco pessoas foram indiciadas por homicídio. Os nomes não foram divulgados. 

A polícia também informou que a investigação da morte de Leandro Troesch, dono da pousada, continua em andamento. 

Até o momento, três pessoas foram presas pela morte de Billy. A última prisão ocorreu na terça-feira (29), mesmo dia em que o inquérito foi concluído. O delegado Rafael Magalhães, responsável pelas investigações, informou que a pessoa presa foi uma mulher, identificada como Jania dos Santos Santana. 

Ainda segundo o delegado, ela já tinha mandado de prisão temporária em aberto. O mandado de prisão é de 30 dias e pode ser renovado por mais 30 dias. 

De acordo com Rafael Magalhães, a mulher tinha um envolvimento afetivo com Billy e a suspeita é que ela tenha atraído ele para que o crime fosse cometido. Jania Santana foi encontrada por policiais militares na cidade de Nazaré e foi levada para a delegacia do município, mas será encaminhada para a delegacia de Jaguaripe, onde deve ser ouvida. 

Os outros dois envolvidos no homicídio de Billy encontrados pela polícia foram identificados como Alan, que foi preso, e um adolescente de 17 anos, que não não teve o nome divulgado, que foi apreendido. 

Também foi presa na quinta-feira (24), Maqueila Santos Bastos, suspeita de envolvimento na morte de Leandro Troesch, que era dono da pousada. Conforme o delegado Rafael Magalhães, a mulher, que é amiga da esposa do empresário, deve ser transferida de Aracaju, em Sergipe, para a Bahia, a qualquer momento.

Seguem foragidos, a esposa de Leandro, identificada como Shirley da Silva Figueiredo, e mais dois suspeitos de envolvimento no caso.





Fonte: iBahia