Com 1 milhão de influencers no Brasil, especialista explica como investir corretamente



Foto: Reprodução

Investir em influenciadores digitais tornou-se uma prática, ou no mínimo um desejo, entre as micro e pequenas empresas no país. Dados de monitoramento estimam que hoje existam cerca de 1 milhão de influencers no Brasil, sendo que, no dia a dia esse número não para de crescer.

Especialista no relacionamento entre marcas e influenciadores digitais, a relações públicas Rafaela Pinto explica esse movimento e destaca o ganho potencial no investimento com criadores de conteúdo. “O influenciador tem um público muito ativo nas redes sociais, que acredita e costuma seguir suas indicações e acompanhar o seu dia a dia. Ao associar sua imagem a um influenciador, a marca consegue alcançar esse nincho e agregar valor ao seu negócio por meio da autoridade do influencer. É uma relação em que todos ganham: quem contrata, quem produz e quem consome”, pontua.

Dados da pesquisa ‘O Brasil e os Influenciadores Digitais’, assinada pelo Ibope Inteligência, revelou que 52% dos internautas seguem algum influenciador brasileiro, sendo que atualmente o Brasil possui cerca de 230 milhões de smartphones ativos, com 97% desse montante conectados à internet.

Oportunidade de negócios para quem atua como creator e para as marcas que os contratam, Rafaela – que tem qualificação pela ESPM e 4 anos de experiência na área, revela como o seu trabalho gera conexões e potencializa os resultados.

“Meu trabalho com influenciadores tem dois vieses: enquanto marca contratante e como assessora do influenciador. Muitas marcas buscam se associar a imagem do influenciador para propagar seu negócio, se conectar a novos públicos e ganhar mais autoridade. Desta forma, como contratante busco mapear influencers que conversam com a marca para desenvolver o trabalho. Enquanto assessora de influenciadores, o meu trabalho é pensar de forma estratégica na imagem e reputação que o creator quer transmitir nas redes sociais, com o objetivo de se posicionar no mercado e captar novas marcas que tenham feat com os assuntos que ele/a aborda”, explica.

Rafaela Pinto explica como funciona o mercado dos influencers (Foto: Acervo Rodrigo Almeida)

Voltando aos dados, segundo a pesquisa do Ibope, os principais motivos para que pessoas sigam influencers estão pautados em: conteúdo com informação relevante; ideias ou pensamentos semelhantes aos do usuário; interatividade com os seguidores; compartilhamento de ideias sem impor opiniões; atuação de forma engraçada; possuir variedade de assuntos; sser uma pessoa séria e confiável; oferecer temas cotidianos; promover sorteio e entrega de brindes.

“Os seguidores buscam influenciadores que tenham feat com o seu próprio estilo de vida, ou que estejam em um lugar ao qual se sonha alcançar. O influencer acaba sendo o espelho de uma realidade que se deseja ter ou do lifestyle do/a seguidor/a”, sinaliza Rafaela.

Consciente de que 73% dos seguidores brasileiros buscam influenciadores com conexão com o público-alvo e alinhados aos valores da marca, de acordo com dados da Opinion Box, a especialista destaca pontos que devem ser observados pelos empresários e empreendedores na hora de contratar o serviço de um influencer.

  1. Identifique o seu público-alvo, após isso, a escolha do influencer será mais assertiva. 
  2. Pesquise sobre o influenciador que você busca contratar, avalie se ele de fato tem feat com a sua marca, se o público que ele dialoga é o que você busca alcançar. 
  3. O foco do influenciador não é converter em vendas. Não contrate achando que ele vai aumentar seu número comercial. Na maioria das vezes isso até pode acontecer, mas o foco do trabalho é associar a imagem da sua marca ao perfil contratado, gerar engajamento e tráfico para sua página. 
  4. Ao analisar o engajamento do influenciador, não se apegue apenas aos números, faça uma análise qualitativa também, verifique se as interações são orgânicas.
  5. Experimente novos formatos de entrega e converse com o influenciador. Ele/a sabe como produzir um conteúdo que vai gerar maior aceitação e engajamento.

A questão é que sendo micro, pequena ou grande empresa, o investimento em influencers é uma realidade, mas que ainda precisa de um longo caminho para amadurecimento. Conversar com um especialista e entender as melhores estratégias pode ser a forma mais saudável de garantir que o seu investimento não vire um gasto.

Rodrigo Almeida* – @rodrigoalmeidarp
Relações Públicas, Mestre em Gestão e Tecnologia Industrial (SENAI – Cimatec), pós-graduando no programa de MBA em Tendências e Inovações, Palestrante, Professor Universitário de pós-graduação, Consultor e Diretor da agência CRIATIVOS.

Leia mais sobre Conexões e Negócios no ibahia.com e siga o portal no Google Notícias





Fonte: iBahia