Principal produtor de cacau do Brasil, Bahia se destaca por marcas próprias de chocolate


A Bahia é a maior produtora de cacau do Brasil, de acordo com dados da Associação Nacional das Indústrias Processadoras de Cacau. O levantamento, divulgado em janeiro deste ano, mostra que o estado bateu recorde histórico em 2021, com entrega de 140.928 toneladas de amêndoas de cacau, um aumento de 39,72% em relação ao ano anterior. 

Em 2020, o estado produziu 100.864 toneladas, quantidade que já o deixava, com folga, como o maior produtor de cacau do Brasil. 

No estado, a região sul é a mais tradicional quando o assunto é cacau. Lá, é utilizado o sistema de de lavoura associada à floresta, conhecido como cabruca, ainda é o mais utilizado. Ele é o responsável por 80% da produção de cacau em toda a Bahia. De acordo com a secretaria estadual de Agricultura, o modelo é sustentável e já ajudou a preservar 8% da Mata Atlântica na região.  

No oeste baiano, uma nova técnica tem sido utilizada para se produzir cacau sem a necessidade de associação com outras vegetações nativas. Cada muda vem com um QR Code, que acompanha a evolução da planta desde a produção até a colheita.  

O Brasil é o quinto consumidor de chocolates do mundo e a produção baiana ajuda a atender essa demanda. Marcas baianas se destacam pelo uso do cacau da região, pela inovação e mistura com ingredientes típicos. Ficou com água na boca? Confira cinco marcas baianas que “bombam” dentro e fora do estado: 

Foto: Reprodução / Instagram

A marca estreou em 2012, no Festival Internacional do Chocolate de Ilhéus. O cacau utilizado pela Mendoá vem da Fazenda Riachuelo, no sul da Bahia.  

A marca trabalha com chocolate finos que contêm desde 40% a 100% cacau nas suas receitas. O cacau da Mendoá é misturado com sabores típicos do Brasil, como café, castanha-de-caju e do pará, coco e laranja, entre outros. 

Em Salvador, a Mendoá pode ser encontrada em alguns supermercados, como Sam’s Clube, e lojas de produtos naturais, além da loja própria no Salvador Shopping. 


Foto: Reprodução / Instagram

A marca baiana é famosa internacionalmente, tendo ficado com a medalha de bronza em concurso da Agência de Valorização dos Produtos Agrícolas (AVPA), uma organização não governamental sediada em Paris. 

O chocolate ao leite da marca, com 55% de concentração de cacau, foi o concorrente. A ChOr foi criada em 2013 em Ilhéus. Luana Lessa, responsável pela marca, se mudou para Portugal há dois anos para internacionalizar a chocolateria. 

Os chocolates da ChOr são fabricados a partir de amêndoas selecionadas de cacau da região de Ilhéus, resultando em chocolates ao leite com 44% de cacau e chocolates amargos com 70% de cacau na forma de tabletes puros e recheados, bombons, trufas, licores, chocolate quente, etc. 

Foto: Reprodução / Instagram

Natucoa é a marca de chocolate finos da Coopessba, uma cooperativa de agricultura familiar, como moradores de Ilhéus, no sul da Bahia. O cacau da marca é produzido com responsabilidade ambiental e social, e nosso chocolate utiliza ingredientes naturais, sem leite e aromatizantes – ou seja, são veganos. 

A Natucoa tem loja própria em Ilhéus e Itacaré, mas é possível encontrar os chocolates da marca em lojas de alimentos naturais em Salvador e também na internet. 

Foto: Reprodução / Instagram

A Jupará produz chocolates finos sem glúten, lactose ou gorduras hidrogenadas com cacau extraído do sul da Bahia. A montagem final dos produtos é feita na fábrica da empresa, em Salvador.  

Os chocolates – que variam entre ao leite, meio amargos, intensos e zero açúcar – podem ser comprados pela internet, através do site da marca. 

Foto: Reprodução / Instagram

O cacau fino especial utilizado pelo Var Cacau é cultivado na Fazenda Lajedo do Ouro, na região de Ibirataia, no sul da Bahia. 

A marca vende chocolates finos com 35% a 80% de cacau. Para quem é de Salvador, é possível comprar os produtos através do iFood. 





Fonte: iBahia