Ronda no Bairro afasta agentes envolvidos em agressões e injúria contra adolescente

Os agentes do Programa Ronda no Bairro – que estão sendo acusados injúria racial e agressão contra um adolescente de 17 anos – foram afastados as atividades operacionais até o fim das investigações. A informação foi confirmada nesta sexta-feira, 13, por meio de nota, pela Superintendência do PRB. De acordo com o documento, um processo…

Reprodução

Os agentes do Programa Ronda no Bairro – que estão sendo acusados injúria racial e agressão contra um adolescente de 17 anos – foram afastados as atividades operacionais até o fim das investigações. A informação foi confirmada nesta sexta-feira, 13, por meio de nota, pela Superintendência do PRB.

De acordo com o documento, um processo administrativo foi aberto no setor disciplinar para apurar a conduta dos agentes. Durante o período de apuração, os profissionais envolvidos no caso ficarão afastados das atividades operacionais nas regiões de atuação.

O Programa Ronda no Bairro ressaltou ainda que o Programa foi implantado com a filosofia de policiamento de proximidade, de forma humanizada. Com isso, o PRB diz não aceitar condutas que vão contra o preceito básico do programa.

Ontem (12), a mãe de um adolescente de 17 anos procurou a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da OAB/AL, bem como a Delegacia de Crimes contra a Criança e o Adolescente, para denunciar que seu filho tinha sido agredido e sofrido injúria racial durante uma abordagem dos agentes do Ronda no Bairro no Centro de Maceió. 

Na acusação, a mulher diz que o menor estava de bicicleta pela Rua Barão de Alagoas, no Centro, seguindo para uma entrega quando os agentes pediram que ele parasse. Como a bicicleta estava com problema nos freios, o adolescente demorou um pouco para atender ao pedido dos Rondas. Assim sendo, ele teria sido agredido e chamado de ‘negrinho’. Após as agressões, os agentes ainda teriam perguntado se o menor precisaria de ajuda médica.  ‘seu negro, você quer que eu chame uma ambulância para você não cair mais’”, diz um trecho do Termo de Declarações da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos.

Confira nota na íntegra: 

Com o objetivo de prestar esclarecimentos para a população em face da abordagem policial ocorrida no dia 11 de maio de 2022 envolvendo um adolescente de 17 anos, a Superintendência do Programa Ronda no Bairro reforça que o PRB trabalha baseado na filosofia do policiamento de proximidade, de forma humanizada, não aceitando condutas que vão contra o preceito básico do Programa.

Diante da ocorrência e do processo administrativo que está sendo realizado juntamente ao setor disciplinar, o Programa determinou o afastamento dos agentes de proximidade envolvidos na ocorrência das atividades operacionais nas regiões de atuação contempladas pelo PRB durante o período de apuração.

 

Fonte: Alagoas24horas