Gegard Mousasi revela planos de perseguir o título do Bellator ‘mais uma vez’ antes da aposentadoria


Gegard Mousasi sabe que não pode lutar para sempre, então ele está abordando sua próxima luta no Bellator 296 em termos realistas de que o fim de sua carreira provavelmente está próximo.

O bicampeão dos médios do Bellator enfrenta Fabian Edwards na luta principal do Bellator 296 na sexta-feira, em Paris, em uma luta potencial para o candidato número 1, com o vencedor provavelmente enfrentando o atual rei dos 85 quilos, Johnny Eblen. Mousasi, que perdeu o título para Eblen em junho passado, espera ganhar uma revanche com uma vitória sobre Edwards, mas essa certamente será a última vez que ele buscará o ouro antes de se aposentar.

“Depois dessa luta é provavelmente uma luta pelo cinturão”, disse Mousasi ao MMA Fighting. “Vou buscar o cinturão mais uma vez, e isso provavelmente será decisivo se eu continuar [fighting] ou não. Essa luta eu tenho que vencer e depois buscar o cinturão porque vou fazer 38 anos, é minha última chance de lutar pelo cinturão e vou dar tudo de mim. Sobre Johnny Eblen [in the last fight], ele estava com mais fome, melhor preparado. Era a hora dele.”

Mousasi, 37, admite que sua carreira de 20 anos em esportes de combate definitivamente afetou seu corpo, e está ficando cada vez mais difícil se manter saudável durante seus campos de treinamento.

Na verdade, o veterano do UFC e do Strikeforce revelou que parte do motivo pelo qual ele não luta há quase um ano se deve a uma forte dormência na mão, que o levou a uma cirurgia que acabou não resolvendo o problema.

“Depois da minha luta, toda vez que eu apertava, minha mão adormecia”, disse Mousasi. “Eu tinha síndrome do túnel do carpo ou algo assim, mas fiz uma operação, mas não ajudou. Então, mesmo que eu quisesse lutar antes, não teria conseguido.

“Eles operaram meu pulso, mas na verdade está vindo do meu pescoço. Apenas desgaste de todos esses anos de luta. Eu dormia, minha mão adormecia e eu acordava de hora em hora. No campo de treinamento, você precisa dormir. Graças a Deus, tenho fisioterapeuta, ele ajudou a ajustar meu pescoço e é por isso que consigo dormir.”

Segundo Mousasi, ele ainda precisa fazer tratamento regular no pescoço para garantir que o mesmo problema não volte a ocorrer. Ele considera isso apenas mais um sinal de que a idade atinge todo mundo eventualmente, mas principalmente para os lutadores que castigam seus corpos quase diariamente.

“Meu problema era que toda vez que eu dormia, acordava porque minha mão adormecia e ficava dormente”, explicou Mousasi. “Eu consertei, então agora estou bem de novo. Você envelhece, você tem que lidar com mais coisas. Antigamente eu só comia, dormia, treinava, dormia, e agora está tudo mais difícil.

“Treinar é difícil, lidar com lesões, ainda só tenho 37 anos, mas já fiz muitas lutas, muitos quilômetros rodados. Não é mais tão fácil. Não há graça nisso. É ainda mais difícil agora do que antes, então às vezes me pergunto por que ainda estou fazendo isso, mas meu objetivo é ganhar o cinturão mais uma vez, dar tudo de mim e ver o que acontece, mas pelo menos tentei mais uma vez para pegar o cinturão. Esse é o meu caminho.”

Embora Mousasi ainda ame seu trabalho e espere ser campeão novamente, ele reconhece que a areia da ampulheta acabará para todos.

A última coisa que Mousasi quer é exagerar em suas boas-vindas, então sua próxima luta contra Edwards e uma possível revanche com Eblen irão percorrer um longo caminho para determinar quanto tempo ele ainda resta no esporte.

“Eu não parecia nada bem na minha última luta, mas estava ganhando antes disso”, disse Mousasi. “Não senti que envelheci, mas naquela última luta eu parecia lento. Eu realmente não lutei. Se isso acontecer mais uma ou duas vezes, sei que o tempo está chegando.

“Johnny Eblen estará em Paris. Essa é a luta que o Bellator quer fazer. Acho que depende se é uma luta chata ou se eu não me daria uma luta pelo cinturão. Então eu preciso ir e atuar e vencer de forma dominante para que as pessoas esperem ansiosamente pela luta pelo título.”



Fonte: mma fighting