novas regras do programa entrarão em vigor no próximo dia 7


O programa habitacional Minha Casa Minha Vida passará a ter novas regras a partir do dia 7 de julho, de acordo com a Caixa Econômica Federal, o banco responsável pela operação do programa. Dessa forma, as alterações foram aprovadas pelo Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) no mês passado.

Minha Casa Minha Vida: novas regras do programa entrarão em vigor no próximo dia 7

Contudo, as mudanças mais significativas incluem um aumento no subsídio oferecido pelo governo, uma redução nas taxas de juros e um aumento no valor máximo dos imóveis que podem ser financiados, agora chegando a até R$ 350 mil. Além disso, houve uma atualização das faixas de renda que têm acesso aos financiamentos.

Divisão por faixa de renda

Em suma, os beneficiários que desejam financiar um imóvel são divididos em três faixas de renda, cada uma com taxas e benefícios diferentes. O programa Minha Casa Minha Vida estabeleceu novos valores para as faixas de renda dos beneficiários.

Agora, a Faixa 1 inclui famílias com renda de até R$ 2.640 mensais. Na Faixa 2, estão aqueles com renda entre R$ 2.640,01 e R$ 4.400 mensais. Já na Faixa 3, estão as famílias com renda variando de R$ 4.400,01 a R$ 8.000 mensais. Essa divisão é importante para determinar as taxas e benefícios oferecidos no financiamento de imóveis, garantindo que as condições sejam adequadas a cada grupo de renda.

Aumento do subsídio

O subsídio, que corresponde a uma parte quitada do financiamento pelo governo federal com recursos da União, agora pode chegar a 95% do valor total para famílias de renda mais baixa. Desse modo, o limite máximo do subsídio oferecido na entrada do imóvel aumentou de R$ 47,5 mil para até R$ 55 mil nas faixas 1 e 2, sendo essa a primeira revisão desde 2017.

Redução na taxa de juros e acréscimo no valor máximo dos imóveis financiados

As mudanças nas regras do programa Minha Casa Minha Vida também contemplam uma redução nas taxas de juros para as famílias de baixa renda. Dentro da faixa 3 do programa Minha Casa Minha Vida, destinada a famílias com renda mensal entre R$ 4,4 mil e R$ 8 mil, os imóveis disponíveis para financiamento agora podem custar até R$ 350 mil. O limite máximo anterior era de R$ 264 mil. Para as faixas 1 e 2, o valor varia entre R$ 190 mil e R$ 264 mil, dependendo da localidade no país.


Você também pode gostar:

Minha Casa Minha Vida: novas regras do programa entrarão em vigor no próximo dia 7
Minha Casa Minha Vida. Imagem: Canva

Uma importante medida para o país

Essas novas regras do programa Minha Casa Minha Vida, que serão implementadas em breve, representam uma importante atualização para o setor habitacional do país. Uma vez que com a redução nas taxas de juros, o aumento no valor máximo dos imóveis financiados e o incremento no subsídio oferecido pelo governo, espera-se que mais famílias de diferentes faixas de renda possam realizar o sonho da casa própria.

Essas medidas visam promover a inclusão social e o acesso à moradia digna, contribuindo para o desenvolvimento social e econômico do Brasil. Desse modo, essa é uma excelente oportunidade para aqueles que buscam uma alternativa viável e acessível para adquirir um imóvel.

Medidas importantes

Com essas medidas, o programa Minha Casa Minha Vida reafirma seu compromisso em fornecer soluções habitacionais adequadas e acessíveis para a população brasileira. Assim, contribuindo para o bem-estar e a qualidade de vida de milhares de pessoas.

Portanto, a partir do próximo dia 7, a tendência é que ocorra uma grande elevação no volume de financiamentos imobiliários. Já que com o aumento do valor máximo dos imóveis financiados e a redução das taxas de juros para famílias de renda mais baixa, o programa se torna mais abrangente e inclusivo. Certamente, essas medidas têm o objetivo de proporcionar condições mais favoráveis para a realização do sonho da casa própria.

Deixe seu comentário no final da página!

Veja o que é sucesso na Internet:

Fonte: Notícias Concursos