PREFEITURA fecha contrato para instalar câmeras de monitoramento facial em toda a região


A Prefeitura de São Paulo, por meio do prefeito Ricardo Nunes, assinou um contrato para a instalação de câmeras de monitoramento facial na região central da cidade, incluindo a famosa Avenida Paulista. Esse projeto, chamado de Smart Sampa, tem como objetivo melhorar a segurança pública por meio do videomonitoramento e reconhecimento facial.

O projeto Smart Sampa e a polêmica das câmeras de monitoramento facial

A iniciativa do Smart Sampa é vista como um passo importante para enfrentar o consumo e tráfico de drogas na região conhecida como Cracolândia, além de reduzir a sensação de insegurança no centro de São Paulo. A meta é instalar 20 mil câmeras até 2024, sendo 3,3 mil apenas na região central. O consórcio vencedor da licitação ficará responsável pelo custo mensal de R$ 9,8 milhões.

No entanto, o projeto não está isento de críticas e polêmicas. A tecnologia de reconhecimento facial é alvo de questionamentos por parte de entidades defensoras dos direitos humanos, que apontam possíveis viéses discriminatórios, especialmente contra pessoas negras. Além disso, especialistas em proteção de dados levantam dúvidas sobre a garantia de privacidade das informações dos cidadãos.

Funcionamento e utilização das câmeras de monitoramento facial

As câmeras de monitoramento facial serão instaladas em escolas, postos de saúde e parques, e terão a função de reconhecer pessoas procuradas pela Justiça, como egressos do sistema penitenciário e pessoas desaparecidas. O sistema irá armazenar informações de reconhecimento facial e a localização das pessoas, permitindo saber se alguém esteve em determinado ponto da cidade e em qual horário.

É importante ressaltar que as imagens captadas pelas câmeras não serão transferidas automaticamente para as forças policiais. Antes, passarão por um comitê composto por diversas pastas municipais, como Segurança Urbana, Transportes, CET e SPTrans, além da eventual participação da Polícia Civil e da Polícia Militar. O objetivo é evitar o uso indiscriminado das imagens e garantir que o reconhecimento facial não seja uma sentença, mas sim um alerta para um agente de segurança que fará a abordagem.

Críticas e desafios do projeto Smart Sampa

Apesar de ter um potencial positivo, o projeto Smart Sampa enfrenta críticas e desafios. A questão do viés discriminatório do reconhecimento facial é uma das principais preocupações levantadas por entidades defensoras dos direitos humanos. É necessário que o processo seja conduzido de forma técnica e profissional para evitar injustiças e estigmatizações de grupos vulneráveis.

Outra crítica é em relação à proteção dos dados dos cidadãos. Especialistas questionam as garantias de privacidade e segurança das informações coletadas pelas câmeras de monitoramento facial. É fundamental que sejam adotadas medidas rigorosas para evitar o uso inadequado e o vazamento desses dados.


Você também pode gostar:

O embate entre segurança e privacidade

O uso de tecnologias como o reconhecimento facial no contexto da segurança pública traz consigo um embate entre a busca por maior segurança e a garantia da privacidade dos cidadãos. É fundamental encontrar um equilíbrio entre essas duas questões, a fim de evitar abusos e violações de direitos.

A prefeitura de São Paulo, ao implementar o projeto Smart Sampa, deve estar atenta aos desafios e críticas, buscando sempre aprimorar os mecanismos de proteção de dados e garantir que o uso das câmeras de monitoramento facial seja feito de maneira responsável e respeitando os direitos individuais.

Ademais, a assinatura do contrato para a instalação de câmeras de monitoramento facial na região central de São Paulo marca o início do projeto Smart Sampa. Essa iniciativa busca melhorar a segurança pública, enfrentar o consumo e tráfico de drogas e reduzir a sensação de insegurança na região central da cidade.

No entanto, é importante que o projeto seja conduzido de forma responsável, levando em consideração as críticas e desafios relacionados ao reconhecimento facial. É necessário garantir a privacidade dos cidadãos e evitar qualquer tipo de discriminação.

A implementação do Smart Sampa representa um avanço tecnológico na segurança pública, mas é fundamental que os mecanismos de proteção de dados e os protocolos de uso das imagens sejam rigorosos e transparentes. Somente assim será possível alcançar um equilíbrio entre segurança e privacidade na cidade de São Paulo.

Participe da Comunidade no Whatsapp e fique informado(a) em tempo real gratuitamente.

Siga o Notícias Concursos no Google News e receba novidades sobre Benefícios Sociais, Concursos, Empregos, Dicas e muito mais.





Mais Lidas da Semana



Ainda com dúvidas? Só perguntar abaixo ou deixe seu comentário no final da página!



Fonte: Notícias Concursos