Boa notícia! Segundo a ANP, o preço médio da gasolina nos postos registrou queda pela nona semana consecutiva


Os dados mais recentes divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) confirmam que o preço médio do litro da gasolina no Brasil continua sua trajetória descendente, marcando a nona semana consecutiva de redução.

Na semana de 22 a 28 de outubro, a gasolina foi vendida a uma média de R$ 5,69 por litro, representando uma queda de 0,87% em relação aos R$ 5,74 registrados na semana anterior.

Todavia, o valor máximo encontrado nos postos foi de R$ 7,49 por litro, indicando uma variação considerável nos preços praticados pelos estabelecimentos.

No mesmo período, o preço médio do etanol foi de R$ 3,57 por litro, refletindo uma diminuição de 1,11% em comparação com os R$ 3,61 da semana anterior. O preço mais alto identificado pela ANP para o etanol foi de R$ 6,60 por litro.

Quanto ao diesel, o litro foi comercializado, em média, a R$ 6,13, marcando um aumento de 1,49% em relação aos R$ 6,04 da semana anterior. Contudo, o valor mais elevado encontrado pela agência foi de R$ 7,95 por litro.

Esses números evidenciam uma tendência de queda nos preços da gasolina e dos combustíveis em geral, aliviando o bolso dos consumidores em meio às flutuações do mercado.

Enfim, para mais detalhes e informações relacionadas a este cenário, confira o texto completo abaixo.

Novos preços da gasolina e demais combustíveis anunciados pela Petrobras

GasolinaGasolina
ANP divulga dados que revelam que o preço da gasolina e outros combustíveis continuam em tendência de queda. Imagem: Canva.


Você também pode gostar:

Em um comunicado feito em 19 de outubro, a Petrobras revelou suas mais recentes alterações nos preços dos combustíveis.

A partir do último sábado (21), entrou em vigor uma redução de R$ 0,12 por litro no preço médio da gasolina, que agora está sendo comercializada pela petroleira a R$ 2,81 o litro.

Simultaneamente, o diesel teve um aumento de R$ 0,25 por litro, atingindo R$ 4,05 o litro.

A Petrobras destacou que essas mudanças representam parte de uma tendência de queda nos preços ao longo deste ano. No acumulado, o preço de venda da gasolina diminuiu em R$ 0,27 por litro, enquanto o diesel teve uma redução de R$ 0,44 por litro.

Essas variações nos preços dos combustíveis, que são fundamentais para diversos setores da economia, estão sendo observadas de perto pelos consumidores e pela indústria.

Reformulação na estratégia de precificação da Petrobras

Em um anúncio feito em maio deste ano, a Petrobras revelou uma significativa mudança em sua abordagem de fixação de preços.

A estatal decidiu afastar-se da política de paridade internacional (PPI), que anteriormente estava vinculada aos movimentos do dólar e às flutuações nos preços do petróleo no mercado global. Em vez disso, a empresa optou por adotar uma nova abordagem.

Segundo a Petrobras, seus novos preços da gasolina e outros produtos para os distribuidores agora se situam em uma faixa delimitada por dois pontos-chave:

  • O valor mais elevado que um comprador estaria disposto a pagar antes de considerar a possibilidade de buscar um fornecedor alternativo;
  • O valor mínimo que a Petrobras pode praticar ao vender seus produtos e ainda manter uma margem de lucro razoável.

É importante salientar que os preços estabelecidos pela Petrobras para os distribuidores não se traduzem automaticamente em preços nos postos de combustível.

Os preços da gasolina e outros combustíveis ao consumidor final nos postos levam em conta diversos fatores adicionais, como impostos, custos operacionais das distribuidoras e a margem de lucro dos revendedores.

Você pode se interessar em ler também:

Como o conflito entre Hamas e Israel interfere no preço da gasolina?

Além das preocupações humanitárias que cercam o conflito entre o Hamas e Israel, a guerra também tem tido um impacto significativo nos preços do petróleo e consequentemente da gasolina e outros combustíveis derivados.

O petróleo do tipo Brent, amplamente utilizado como referência no mercado global, atingiu a marca de mais de US$ 91 por barril na última sexta-feira, representando um aumento de mais de 7% em relação aos valores observados antes do início dos confrontos no Oriente Médio.

Autoridades de todo o mundo estão atentas a uma possível escalada no conflito. Afinal, há receios de que o envolvimento de países como o Irã, que desempenha um papel estratégico no fornecimento de petróleo.

Como conseguinte, isso pode levar os preços do petróleo, gasolina, diesel e demais produtos a dispararem ainda mais.

google news noticias concursosgoogle news noticias concursos

Participe de nosso Whatsapp e fique informado(a) em tempo real gratuitamente.



Fonte: Notícias Concursos