Descubra as regras atualizadas para emissão e renovação da nova CNH


A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é um documento essencial para todos os motoristas no Brasil, desempenhando um papel crucial na garantia da segurança nas estradas do país.

Recentemente, uma mudança legislativa significativa foi implementada para aprimorar ainda mais essa segurança.

A alteração, que diz respeito aos motoristas das categorias C, D e E, estabeleceu a obrigatoriedade de exames toxicológicos para a renovação ou emissão da CNH.

Essa nova norma, decorrente da modificação do artigo 148-A do Código Brasileiro de Trânsito, é uma resposta direta à necessidade de assegurar que motoristas que operam veículos de grande porte estejam aptos e livres de substâncias que possam comprometer sua capacidade de condução.

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) tem agora 180 dias, conforme estabelecido pela Lei 14.599/2003, para regulamentar a realização desses exames toxicológicos.

Vale ressaltar que essa exigência não é uma novidade completa, visto que exames toxicológicos já eram requeridos desde 2017.

Entretanto, essa atualização pretende expandir e reforçar essa prática, reconhecendo a responsabilidade adicional dos motoristas das categorias C, D e E, que lidam diariamente com veículos que demandam uma habilidade e atenção excepcionais nas vias.

Enfim, explore detalhes adicionais sobre o tema na leitura a seguir, onde você encontrará informações mais abrangentes e aprofundadas sobre a nova CNH.

Informações iniciais importantes


Você também pode gostar:

CNH
Novas diretrizes estabelece que motoristas que operam veículos de grande porte realizem o exame toxicológico para a renovação da CNH. Imagem: Agência Brasil – EBC.

Em junho deste ano, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) tomou uma decisão crucial ao estabelecer o prazo até 28 de dezembro para a reintrodução da exigência dos exames toxicológicos na CNH dos motoristas.

Anteriormente, um artigo que definia esse prazo havia sido vetado, com a justificativa de que o tema já estava regulamentado em outras leis, como a Consolidação das Leis do Trabalho e a Lei 9.503/1997, que já delinearam as responsabilidades relacionadas a esse exame.

Entretanto, os detalhes específicos sobre a aplicação, fiscalização e registro de sistemas eletrônicos não foram claramente definidos.

Agora, com a reintrodução dessa exigência, a responsabilidade recai sobre o Ministério do Trabalho e Emprego para estabelecer esses procedimentos de maneira minuciosa e transparente.

Essa medida é de extrema importância para assegurar a segurança e a responsabilidade no trânsito, especialmente para os motoristas com CNH nas categorias C, D e E.

Você pode se interessar em ler também:

Prazos estabelecidos para a emissão da nova CNH e penalidades para o não cumprimento dos limites

Em abril de 2021, o prazo de validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) passou por alterações significativas, refletindo uma adaptação às demandas contemporâneas no trânsito.

Anteriormente, a validade do documento era de cinco anos para condutores com menos de 65 anos e de três anos para aqueles com mais de 65 anos. As mudanças no Código de Trânsito foram uma resposta a essa necessidade de atualização.

Entretanto, as novas regras trouxeram modificações substanciais na validade da CNH, segmentando-a de acordo com a faixa etária dos condutores:

  • Para pessoas com menos de 50 anos, a CNH agora é válida por uma década, ou seja, 10 anos;
  • Para aqueles com idade entre 50 e 70 anos, a carteira passou a ter um prazo de validade de 5 anos;
  • Já os condutores com mais de 70 anos terão sua CNH válida por 3 anos.

É fundamental que os motoristas idosos estejam plenamente cientes das consequências de dirigir com a CNH vencida e tomem as medidas necessárias para renová-la. Afinal, o documento agora vence mais rapidamente, exigindo uma atenção constante à data de validade.

Dirigir com a habilitação vencida é considerado uma infração gravíssima, sujeita a penalidades sérias. Isso pode resultar em uma multa no valor de R$ 293,47 e adiciona sete pontos à habilitação do condutor.

Os condutores têm um período de tolerância de até 30 dias corridos após a data de vencimento para dirigir com a CNH vencida. No entanto, é crucial lembrar que após esse período, não é permitido conduzir um veículo até que a Carteira de Habilitação seja regularizada.

Como renovar a minha CNH?

Renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é um processo fundamental para todos os motoristas, e embora pareça complicado à primeira vista, é, na verdade, bastante acessível, desde que você siga algumas etapas essenciais:

Sendo assim, confira:

  • Acesse o site do Detran do seu estado: O primeiro passo é acessar o site do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de sua região. Lá, você encontrará todas as informações necessárias para iniciar o processo de renovação;
  • Faça login com seus dados: Após acessar o site, é preciso fazer login usando seu CPF ou CNPJ, juntamente com sua senha. Certifique-se de inserir as informações corretas para evitar qualquer contratempo no processo;
  • Confirme e atualize seus dados: Uma vez logado, confira seus dados pessoais e siga as instruções fornecidas para solicitar a renovação da CNH. É crucial garantir que todas as informações estejam atualizadas e corretas para evitar qualquer problema durante o processo de renovação.

Além desses passos básicos, é importante estar ciente de que a renovação da CNH pode exigir procedimentos adicionais, como exames médicos e, em alguns casos, exames toxicológicos.

Em São Paulo (SP), por exemplo, a avaliação médica é obrigatória e deve ser agendada através do site do Detran. Além disso, taxa correspondente é paga diretamente ao médico responsável pelo exame.

Siga o Notícias Concursos no Google News e receba novidades sobre Benefícios Sociais, Concursos, Empregos, Dicas e muito mais.

Participe de nosso Whatsapp e fique informado(a) em tempo real gratuitamente.



Fonte: Notícias Concursos