Empresa de Robert De Niro deve pagar multa de um milhão de dólares por discriminação


Robert De NiroA produtora do filme, Canal Productions, enfrenta uma multa de um milhão de dólares depois que um juiz decidiu a favor de um ex-assistente. Depois de cinco horas deliberando sobre o caso, segundo a Variety, o júri decidiu que a empresa do ator nova-iorquino deve pagar US$ 1,2 milhão para Graham Chase Robinsono funcionário que denunciou comportamento sexualmente discriminatório.

O incidente começou em 2019. Na época, a produtora processou Robinson por roubar “milhões de milhas” de viajantes frequentes e não fazer seu trabalho corretamente. Segundo a empresa, a funcionária dedicava o horário de trabalho a outras atividades não relacionadas ao trabalho, como assistir televisão.

Adorável sessão de fotos de Sterling Mahomes com os pais Patrick e Brittany

Coçar as costas ou lavar os lençóis foram alguns dos pedidos de De Niro

A resposta do assistente foi imediata. Ela denunciou o próprio ator, que lançou recentemente ‘The Moon Killers’, por discriminação de gênero. Robinson alegou que De Niro pagavam-lhe menos por ser mulher, além de obrigá-la a realizar tarefas domésticas, como lavar os lençóis.

Neste processo, no qual exigiu 12 milhões de dólares, ela também acusou o homem de 80 anos de ser um chefe abusivo que lhe disse para “coçar as costas”, algo que o próprio ator reconheceu em tribunal, embora tenha afirmado que não havia conotação sexual ao seu pedido. Ele também afirmou que Robertoparceiro, Tiffany Chenera uma “sociopata” e que pretendia demiti-la.

Na audiência, De Niro ficou irritado com a distância das viagens, da qual a empresa reclamava. A estrela de ‘Taxi Driver’ avaliou as perdas em US$ 60 mil e explicou que Robinsonque teve acesso ao programa, deveria utilizá-lo de forma razoável para os seus clientes.





Fonte: Jornal Marca