O maior desafio de Kayla Harrison pode ser a categoria de peso e não a oposição: Ninguém no UFC, Bellator ou PFL ‘me assusta’


Kayla Harrison sempre soube que suas opções no peso leve feminino eram um tanto limitadas.

É por isso que ela é considerada há muito tempo uma mudança mais permanente para baixo para 145 libras, onde há oponentes muito mais estabelecidos. Ela estava programada para competir no peso pena no próximo card do PFL Championship em 24 de novembro, até que a ex-campeã do Bellator Julia Budd foi substituída pelo veterano do UFC Aspen Ladd em curto prazo.

Como resultado, Harrison agora lutará com peso catch de 150 libras. Mas, verdade seja dita, o adversário nunca importou muito.

“Não quero dizer que esperava isso, mas não importa”, disse Harrison ao MMA Fighting sobre sua mudança de adversários. “Eu me concentro no que posso controlar. Só estou procurando uma briga, não me importa quem seja.

“Aspen Ladd nunca foi campeão, Julia Budd foi campeã, mas Aspen Ladd esteve no UFC, [and] Julia Budd não. Aspen Ladd é mais jovem e provavelmente mais promissor. Julia Budd provavelmente está de saída, mas isso não importa, porque eu venci os dois. O único denominador comum é ‘Kayla smash’”.

O retorno de Harrison ocorre quase exatamente um ano após a primeira derrota de sua carreira, um revés na decisão contra a atual campeã do PFL, Larissa Pacheco. Parecia que a revanche iria acontecer, considerando que Harrison já tinha duas vitórias anteriores sobre Pacheco, mas a brasileira voltou ao torneio PFL da temporada com 145 libras depois que a promoção eliminou efetivamente o peso leve feminino.

Reduzir para o peso pena exige que Harrison faça muitas mudanças em sua dieta e cronograma de treinamento, e ela sabe que fazer isso quatro vezes por ano para ingressar em outra temporada do PFL seria quase impossível. Dito isso, ela parece pronta para chamar o peso pena de casa em um futuro próximo.

Isso também poderia servir como um precursor para uma eventual queda para 135 libras?

“Quero dizer, 135 vão me desafiar de maneiras como se eu tivesse que perder um pedaço de mim para poder lutar até 135 libras”, disse Harrison. “Acho que apenas estruturalmente carrego muitos músculos. Já estou meio magro, então vou ter que perder músculos. Vou ter que mudar todo o meu estilo de vida. Quer dizer, eu já fiz isso para lutar aos 145.

“É uma loucura o que acontece quando você cuida do seu corpo, se alimenta bem, dorme e se recupera. Eu era um idiota quando era mais jovem. Mas tenho fé que tudo o que deveria ser, será.”

O desafio mais difícil de Harrison pode ser sua categoria de peso, porque a duas vezes medalhista de ouro olímpica no judô aceita lutas contra qualquer um. Isso talvez signifique uma revanche com Pacheco no PFL, ou mesmo um tão aguardado confronto contra a campeã do Bellator, Cris Cyborg.

Também inclui potencialmente um futuro no UFC, mas isso forçaria Harrison a descer para o peso galo; a promoção efetivamente fechou os últimos remanescentes de uma divisão de 145 libras em grande parte adormecida.

“Escute, você já me viu fugir de uma briga ou dizer não a brigar com alguém? Não”, disse Harrison. “Não importa em que promoção você esteja. Eu não ligo. Eu acredito em mim. Eu não ligo. Todo mundo fica tipo ‘bem, você perdeu.’ Sim, adivinhe? Às vezes gigantes caem. Às vezes, merda acontece. Às vezes você perde. Às vezes você tropeça, mas não é o que acontece então. É o que acontece depois que você tropeça. Não tenho medo do trabalho duro. Não tenho medo de subir de volta. Não tenho medo de me forçar e dizer não, não é isso, não terminei. Ainda estou aqui. Eu tenho algo a provar. Eu não tenho medo disso. Na verdade, eu gosto disso.

“Ninguém no UFC, ninguém no Bellator e ninguém no PFL me assusta e estou disposto a colocar isso em risco. Aposto em mim mesmo.”

O obstáculo mais terrível pode ser o corte de peso, mas Harrison ataca esse possível desafio com o mesmo tipo de ferocidade com que faz suas lutas.

“Ainda não conheço os limites do meu corpo nesse período”, disse ela. “Comecei a fazer algumas pesquisas e a fazer alguns testes e a fazer alguns exames e a ver [what’s possible] mas não sei e não me importo.

“Porque agora tudo que preciso fazer é ganhar 150 [pounds] e lutar contra Aspen Ladd em 24 de novembro. Mas eu nunca digo nunca. Veremos o que acontece.”



Fonte: mma fighting