Pessimismo fala mais alto e derruba Ibovespa pela 2ª vez seguida


O Ibovespa caiu pelo segundo pregão, refletindo o pessimismo no mercado acionário. O indicador caiu no dia, pressionado novamente pelo exterior, com os investidores de olho nos Estados Unidos, preocupados com a taxa de juros no país.

Em resumo, o Ibovespa fechou a sessão desta quinta-feira (9) em queda de 0,12%, aos 119.034 pontos. Na terça-feira (7), o indicador havia alcançado o patamar mais elevado em quase dois meses. Contudo, caiu nos dois pregões seguintes, afastando-se desta marca. Ainda assim, o indicador manteve a faixa dos 119 mil pontos, pois as quedas foram bem tímidas.

Apesar da segunda queda seguida, o Ibovespa ainda acumula fortes ganhos de 4,85% em novembro. Já em 2023, o indicador reserva ganhos de 8,11%.

O resultado anual estava ainda mais positivo há alguns meses, chegando a 11% em julho, mas o indicador caiu em 18 dos 23 pregões realizados em agosto, período em que teve a maior sequência de quedas já registrada na história, recuando por 13 pregões consecutivos e acumulando perdas de 5,1% no mês.

Já em setembro, o Ibovespa até conseguiu subir, mas a alta foi bem leve, de apenas 0,71%. O resultado reverteu novamente a trajetória em outubro, refletindo o pessimismo dos investidores, principalmente com o cenário internacional.

No mês passado, o indicador caiu 2,94%, aumentando as perdas anuais, mas o saldo de novembro está eliminando as perdas do mês anterior e mostra o movimento de gangorra que o Ibovespa vem apresentando nos últimos meses.

Ibovespa recua pelo segundo pregão seguido, mas continua acumulando forte alta em novembroIbovespa recua pelo segundo pregão seguido, mas continua acumulando forte alta em novembro
Ibovespa recua pelo segundo pregão, mas continua acumulando forte alta em novembro. Imagem: Agência Brasil.

Investidores seguiram de olho nos EUA

Na sessão de hoje (9), os investidores ficaram de olho nos EUA. Em suma, o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, participou de uma conferência de pesquisa do Fundo Monetário Internacional (FMI), assim como o fez na véspera. Contudo, dessa vez, Powell falou sobre a política monetária dos Estados Unidos. A propósito, o Fed é o banco central norte-americano.


Você também pode gostar:

Na tarde desta quinta-feira, Powell disse que os dirigentes do Fed “não estão confiantes” em relação ao nível da taxa de juros. Alguns deles acreditam que os juros não estão em nível elevado o suficiente para conter a inflação no país.

De acordo com Powell, o Federal Reserve “está comprometido em alcançar uma postura de política monetária que seja suficientemente restritiva para reduzir a inflação para 2% ao longo do tempo“. “Não estamos confiantes de que alcançamos essa postura“, acrescentou.

Esses comentários preocuparam os investidores, que passaram a buscar mais intensamente o dólar nesta quinta-feira (9). Por isso que a moeda americana subiu novamente, pressionada pelo exterior. Até porque Powell afirmou que, “se for apropriado apertar ainda mais a política monetária, não hesitaremos em fazê-lo“.

Mercado repercute aprovação da reforma tributária

Nesta quinta-feira (9), o principal fato no âmbito doméstico foi a aprovação da reforma tributária no Senado Federal. O texto voltou para a Câmara dos Deputados, onde já havia sido aprovado, devido às alterações feitas pelos senadores. Agora, os deputados irão votar novamente o texto, analisando as novas mudanças.

Vale destacar que ainda não há data marcada para votação do texto. Contudo, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) disse ao blog da Andréia Sadi que irá colocar o texto da reforma tributária para votação ” assim que chegar” na Câmara dos Deputados.

Os investidores repercutiram o avanço do projeto da reforma tributária, mas o que prevaleceu na sessão foi a incerteza vinda dos EUA, que fortaleceu o dólar pela segunda sessão consecutiva, reduzindo as perdas acumuladas em novembro.

59 das 86 ações do Ibovespa caem na sessão

Na sessão de hoje (9), 59 das 86 ações listadas no Ibovespa fecharam o dia em queda, puxando o indicador para baixo. O recuo poderia até ter sido mais forte, mas as duas principais empresas listadas no Ibovespa (Vale e Petrobras), que respondem por cerca de 27% do índice, fecharam o dia em alta firme, limitando o recuo do indicador.

Em síntese, os preços do minério de ferro subiram 2% na China, impulsionados por incentivos estatais. Com isso, as ações da mineradora Vale subiram 0,48%. Por sua vez, os papeis ordinários da Petrobras subiram 2,12%, enquanto os preferenciais avançaram 2,08%.

A carteira teórica mais famosa do país movimentou R$ 19 bilhões na sessão, em linha com a média dos últimos 12 meses. Neste ano, o menor montante mensal foi registrado em setembro e outubro, que tiveram média de R$ 16,1 bilhões.

De modo diferente, o valor mais elevado foi registrado em junho, quando a média diária de giro financeiro no Ibovespa chegou a R$ 21,1 bilhões. Já o segundo está sendo registrado em novembro (R$ 19,3 bilhões), mesmo volume observado em maio.

Participe de nosso Whatsapp e fique informado(a) em tempo real gratuitamente.



Fonte: Notícias Concursos