Dinheiro EXTRA de onde menos se espera: a Conta Corrente de um parente FALECIDO; entenda


Você já parou para pensar se tem algum dinheiro extra esquecido em contas bancárias? Pode parecer improvável, mas a verdade é que muitas pessoas têm valores a receber de bancos que fecharam as portas ou de parentes falecidos. Neste artigo, vou te mostrar como você pode fazer uma varredura nas contas do passado e descobrir se tem algum valor a receber. Afinal, nunca se sabe quando uma grana extra pode ser útil, não é mesmo?

Consultando Valores a Receber pelo CPF

Se você deseja descobrir se tem algum dinheiro esquecido em seu nome, ou até mesmo em nome de algum parente falecido, o primeiro passo é acessar o site do Banco Central. Lá, você encontrará o Sistema de Valores a Receber (SVR), que permite consultar e solicitar o resgate de valores.

Para acessar o SVR, siga o passo a passo abaixo:

  1. Acesse a página oficial do Sistema de Valores a Receber (SVR) do Banco Central: valoresareceber.bcb.gov.br.
  2. Clique em “Consulte valores a receber”.
  3. Preencha o campo de CPF ou CNPJ, dependendo da consulta que você deseja fazer.
  4. Digite o CPF ou CNPJ.
  5. Digite a data de nascimento ou a data de abertura da empresa.
  6. Transcreva os caracteres que aparecem na imagem e clique em “consultar”.

Após seguir esses passos, o sistema irá informar se há valores esquecidos em seu nome ou em nome de parentes falecidos. Caso haja algum valor a receber, você poderá solicitar o resgate diretamente pelo sistema.

Valores a Receber de Parentes Falecidos

De acordo com informações do Banco Central, há mais de R$ 2 bilhões em valores esquecidos em contas bancárias de pessoas que já faleceram. Se você suspeita que um parente falecido possa ter deixado algum dinheiro em algum banco, veja como proceder para descobrir e resgatar esses valores:

  1. Descubra se existe valores a resgatar: Para fazer a consulta, você precisará saber o CPF e a data de nascimento do falecido.
  2. Acesse o Sistema (SVR): Caso a consulta inicial identifique que há algum valor em nome do falecido, acesse o SVR utilizando sua conta gov.br.
  3. Faça o login: Faça o login com sua própria conta gov.br, lembrando que é necessário ter o nível de conta prata ou ouro devido ao sigilo bancário.
  4. Escolha uma opção: Dentro do sistema, acesse a opção “Valores para Pessoas Falecidas”.
  5. Informe os dados do falecido: Digite o CPF e a data de nascimento do falecido.
  6. Leia e aceite o Termo de Responsabilidade: Leia e aceite o Termo de Responsabilidade para consultar os dados do falecido. Apenas herdeiros, testamentários, inventariantes ou representantes legais têm acesso a essas informações.
  7. Confira os dados: Verifique na tela do sistema o nome e os dados de contato da instituição que deve devolver o valor, a origem do valor a receber e a faixa do valor.
  8. Entre em contato com a instituição: Entre em contato diretamente com a instituição para obter informações sobre a documentação necessária para o resgate do valor.
  9. Visualize o comprovante: Caso queira, você pode visualizar o comprovante que contém informações sobre o valor a receber em nome do falecido. É possível salvá-lo, imprimir ou compartilhar pelo computador ou celular.

Vale ressaltar que o Banco Central não recebe nem analisa documentação de pessoas falecidas, nem recebe pedidos de valores a receber por outros meios. Portanto, é importante entrar em contato diretamente com a instituição para obter todas as informações necessárias.

Recuperando Dinheiro de Bancos Falidos

É comum sentir pânico ao descobrir que um banco faliu ou fechou as portas. Você pode se perguntar o que acontece com o seu dinheiro nesses casos. A boa notícia é que existe uma espécie de seguro, chamado Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que pode proteger parte do seu dinheiro em caso de falência de instituições financeiras.

No entanto, existem algumas regras a serem seguidas. O FGC estabelece um limite de valor por CPF e por instituição financeira. Para entender melhor como funciona, entrevistamos Daniel Lima, diretor executivo do FGC. Confira a seguir:

“O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que tem como objetivo garantir os depósitos de correntistas, poupadores e investidores em caso de falência de instituições financeiras. O valor máximo garantido pelo FGC é de R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira. Isso significa que, se você tiver mais de R$ 250 mil em uma mesma instituição, o valor que exceder esse limite não será garantido pelo FGC. Portanto, é importante diversificar seus investimentos e distribuí-los entre diferentes instituições.”

É fundamental estar atento aos limites estabelecidos pelo FGC e não concentrar todos os seus investimentos em uma única instituição financeira. Dessa forma, você garante a segurança do seu dinheiro mesmo em casos de falências.

Busque Informações Confiáveis

Neste artigo, você aprendeu como fazer uma varredura nas contas bancárias do passado em busca de dinheiro extra. Consultar o Sistema de Valores a Receber do Banco Central pode revelar valores esquecidos em seu nome ou em nome de parentes falecidos. Além disso, em casos de falência de bancos, é importante conhecer as regras do Fundo Garantidor de Créditos para proteger o seu dinheiro.

Não deixe de aproveitar a oportunidade de descobrir se há algum valor a receber em seu nome. Faça a consulta no Banco Central e fique por dentro de todas as possibilidades de ter um dinheiro extra. Lembre-se de sempre buscar informações atualizadas e confiáveis para garantir a segurança das suas finanças.



Fonte: Notícias Concursos