Grande Presente! Veja moeda de 50 Centavos que vale até R$ 130


É difícil encontrar alguém que fique feliz por ter 50 centavos na carteira. A moeda não tem um valor muito elevado e, por isso, não é muito procurada pelas pessoas. Entretanto, alguns destes itens chegam a valer muitos reais devido a algumas características que possuem.

No Brasil, diversas pessoas começaram a buscar moedas específicas, com características que as tornam únicas. Em resumo, existem diversas peculiaridades que elevam o valor de um item, e a procura por estes modelos se intensificou neste final de ano.

Quem não gostaria de iniciar 2024 com mais dinheiro na conta bancária? Isso pode até ser fácil para quem possui moedas raras, ou mesmo itens comuns que têm uma grande demanda pelos colecionadores.

Por que as pessoas colecionam moedas?

O hobby de colecionar algo não se limita a moeda. Existem pessoas que gostam de ter coleções de quadros, joias ou sapatos, e elas não se importam em gastar verdadeiras fortunas para terem estes itens em sua posse.

Nem todos conseguem entender essas ações, acreditando que os modelos não valem tanto assim. Contudo, os colecionadores não se importam com isso, e apenas querem aumentar o seu acervo.

Em resumo, o termo numismática se refere ao estudo de cédulas, moedas e medalhas sob o ponto de vista histórico, artístico e econômico. Além disso, o nome também é utilizado muitas vezes para designar o ato de colecionar estes itens, ou seja, os colecionadores são chamados de numismatas.

O que eleva o valor das moedas?

A saber, muitas moedas fazem sucesso entre os colecionadores e passam a ter valores muito altos. Isso acontece devido a características únicas destes modelos, encontradas em poucos exemplares, como:


Você também pode gostar:

  • Exemplares fabricados para datas comemorativas;
  • Modelos com erro de cunho ou fabricação;
  • Poucos exemplares produzidos;
  • Poucas unidades em circulação no país.

Em resumo, essas são as principais características que tornam uma moeda ou uma cédula mais valiosas. Como os colecionadores buscam itens raros e únicos, estes fatores chamam a atenção e os fazem pagar caro para terem os itens.

Com o passar do tempo, torna-se cada vez mais difícil encontrar estes modelos. Por isso que seus valores crescem tanto, fazendo diversas pessoas venderem itens com preços muito altos.

Moeda de 50 CENTAVOS vale até R$ 130

No Brasil, a Casa da Moeda fabrica o dinheiro para colocá-lo em circulação, conforme os pedidos feitos pelo Banco Central (BC). Em algumas ocasiões, como datas comemorativas e momentos de celebração, o BC costuma solicitar a fabricação exclusiva e limitada de alguns exemplares. Geralmente, são estes modelos que costumam valer uma fortuna devido à sua quantidade restrita.

Contudo, existem outras características que fazem uma moeda valer mais do que elas representam. No caso da moeda de 50 centavos que vale até R$ 130, a característica que a fez se valorizar foi a sua baixa tiragem, além do material utilizado em sua confecção.

Em síntese, o modelo foi fabricado em CuproNíquel, material que não é mais utilizado pela Casa da Moeda na fabricação de moedas de 50 centavos. A propósito, os itens foram fabricados apenas nos anos de 1998, 2000 e 2001, o que já é um indício da baixa quantidade de moedas de 50 centavos produzidas com essas características.

Confira a quantidade de itens fabricados em cada ano:

  • 1998: 24,9 milhões;
  • 2000: 14,9 milhões;
  • 2001: 14,7 milhões.

A moeda que vale até R$ 130 foi fabricada em 2001. Aliás, o valor está presente na edição de 2024 do catálogo de Moedas Brasileiras.

Exemplo de moeda de 50 centavos de 2001Exemplo de moeda de 50 centavos de 2001
Exemplo de moeda de 50 centavos de 2001. Imagem: Reprodução.

Estado de conservação dos itens

De acordo com a edição 2024 do catálogo de Moedas com Erros, a moeda de 50 centavos fabricada em 2000 chega a valer R$ 150, mas apenas em relação aos itens que são flor de cunho.

Em suma, as moedas recebem algumas classificações quanto ao seu estado de conservação. O primeiro termo se chama flor de cunho, que se refere aos exemplares que não circularam, ou seja, não apresentam qualquer sinal de desgaste ou manuseio. Em outras palavras, são moedas que não possuem marcas e estão em perfeito estado de conservação. Estes são os modelos que valem mais.

Por sua vez, o estado de soberba se refere às moedas que apresentam, aproximadamente, 90% dos detalhes da cunhagem original. Em síntese, os exemplares que tiveram uma pequena circulação se enquadram neste segmento.

Já a moeda muito bem conservada (MBC) se caracteriza por ter mais sinais de manuseio e uso. Os itens devem apresentar, aproximadamente, 70% dos detalhes da cunhagem original. Além disso, o seu nível de desgaste deve ser homogêneo, sem ter um local bem mais desgastado que outro.

Segundo a edição 2024 do catálogo, os valores para a moeda de 50 centavos são os seguintes:

  • Flor de cunho: R$ 130,00;
  • Soberba: R$ 55,00;
  • MBC: R$ 13,00.



Fonte: Notícias Concursos