Quais são os impostos que o MEI deve pagar? Conheça todas as obrigações da modalidade


O MEI (Microempreendedor Individual) é uma modalidade de empresa para a formalização de profissionais autônomos. Esse é o modo mais fácil de sair da informalidade, pois garante uma série de benefícios e vantagens para o trabalhador.

Uma das principais vantagens do MEI está relacionada ao pagamento de impostos, que ocorre de forma simples. No entanto, esse é um assunto que ainda gera muitas dúvidas entre as pessoas que desejam ingressar na categoria.

Por isso, nós reunimos todas as informações que você precisa saber sobre a modalidade. Confira a nossa matéria na íntegra e fique por dentro de tudo!

Quais são os impostos que o MEI deve pagar?

Quais são os impostos que o MEI deve pagar?Quais são os impostos que o MEI deve pagar?
Quais são os impostos que o MEI deve pagar? Imagem: Canva

A tributação do MEI é simplificada. Isso significa que o pagamento dos impostos ocorre por meio de uma guia única, o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Esta guia reúne tudo o que o empreendedor deve pagar por mês.

De modo geral, os impostos a pagar da modalidade depende da sua atividade. Confira quais são:

  • ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços): aqueles que trabalham com venda de mercadorias devem pagar R$ 1 de ICMS;
  • ISS (Imposto Sobre Serviços): todos aqueles que trabalham com prestação de serviço devem pagar R$ 5 de ISS;
  • INSS (contribuição previdenciária): todos devem pagar o valor equivalente a 5% do salário mínimo vigente para a contribuição previdenciária.

Esses são os impostos que o microempreendedor individual deve pagar todos os meses, por meio do DAS. Além disso, é importante lembrar que, aqueles que trabalham com venda de mercadorias e também prestam serviços, irão acumular os impostos. Assim deverão pagar o ICMS, o ISS e o INSS.


Você também pode gostar:

Outras obrigações do MEI

Além do pagamento mensal do DAS, o microempreendedor também deve cumprir com outras obrigações que são de extrema importância para a manutenção da sua inscrição na modalidade. A primeira delas é a Declaração Anual do MEI.

A Declaração Anual do MEI é um documento que o empreendedor deve preencher no começo de cada ano e enviar para a Receita Federal. Nele, consta o valor total do faturamento do ano anterior.

Esta é uma forma de fiscalização da categoria, uma vez que o faturamento anual não pode ultrapassar R$ 81 mil.

Além disso, entre as suas obrigações também se encontra a emissão de notas fiscais. Mas é importante ficar atento, pois o MEI não é obrigado a emitir notas fiscais em todos os casos. A obrigatoriedade só existe quando ele vende ou presta um serviço para outra pessoa jurídica.

Benefícios do microempreendedor individual

O MEI tem algumas obrigações. No entanto, a categoria também garante uma série de vantagens e benefícios exclusivos.

Em primeiro lugar, o trabalhador passa a ter um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica). Assim, ele pode obter diversas vantagens para o crescimento do seu negócio. Confira algumas delas:

  • Emissão de notas fiscais;
  • Mais facilidade na obtenção de crédito no mercado financeiro para investir no negócio;
  • Facilidade na abertura de conta jurídica em bancos e instituições financeiras;
  • Pode participar de licitações públicas;
  • Permite a contratação de 1 funcionário;
  • Pagamento dos impostos de forma facilitada por meio de uma guia única.

Além das vantagens para o crescimento do seu negócio, o empreendedor que se formaliza como MEI também poderá garantir direitos previdenciários. Confira:

  • Aposentadoria por idade;
  • Aposentadoria por invalidez;
  • Auxílio-doença;
  • Salário-maternidade;
  • Pensão por morte;
  • Auxílio-reclusão.

Como se formalizar?

O processo de abertura do MEI é muito simples e qualquer pessoa consegue fazer sem sair de casa. Para isso, basta acessar o Portal do Empreendedor e seguir o passo a passo:

  1. Ao entrar no Portal do Empreendedor selecione a opção “Quero ser MEI” e, depois, clique em “Formalize-se”;
  2. Na sequência, faça login no Gov.br com o seu CPF e senha ou faça a sua conta caso seja o primeiro acesso;
  3. A seguir, basta informar os dados que serão solicitados, de acordo com as instruções da tela;
  4. Depois, é necessário definir informações da sua empresa, como nome fantasia, contatos, se o trabalho é por meio da internet ou possui endereço comercial, entre outros.
  5. Por fim, basta conferir os dados e preencher as declarações solicitadas para finalizar a sua inscrição.

No final de todo o processo, o empreendedor consegue emitir o CCMEI, que é o documento que comprova a abertura do MEI e contém todas as suas informações empresariais.



Fonte: Notícias Concursos