A inflação brasileira deve cair em 2024? Confira as NOVAS projeções


O mercado financeiro reduziu suas projeções para a inflação brasileira em 2024, indicando uma tendência de queda no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país. Segundo o Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (22) pelo Banco Central, a expectativa é que o IPCA encerre o ano em 3,86%.

Essa nova previsão representa uma redução em relação às projeções anteriores. Há apenas uma semana, a estimativa do mercado era de 3,87%, enquanto há quatro semanas, a expectativa era de 3,91%. Essa constante revisão para baixo sinaliza uma visão mais otimista em relação à trajetória da inflação no Brasil.

Além disso, as projeções para os anos subsequentes também apontam para uma estabilidade na taxa de inflação. Para o ano de 2025, a previsão é de que a inflação atinja 3,5%. Essa tendência se mantém para os anos seguintes, com estimativas idênticas de 3,5% para os anos de 2026 e 2027.

As revisões para baixo nas projeções da inflação indicam uma confiança crescente na estabilidade econômica do país, refletindo positivamente nos cenários presentes e futuros. O Boletim Focus, que é divulgado semanalmente, compila as projeções de mais de 100 instituições do mercado financeiro para os principais indicadores econômicos do país.

Projeção de inflação para 2024

A projeção da inflação para o ano de 2024 está em conformidade com as metas estabelecidas pelo Banco Central (BC), de acordo com informações divulgadas pelo Boletim Focus hoje (22). A estimativa, situada em 3,86%, encontra-se dentro do intervalo de meta determinado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

O CMN definiu como meta para a inflação em 2024 o percentual de 3%, com um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Isso significa que o limite inferior é de 1,5% e o superior é de 4,5%. A projeção atual de 3,86% posiciona-se dentro desses parâmetros, indicando um alinhamento com os objetivos estabelecidos pelas autoridades econômicas.

Para atingir essas metas, o Banco Central utiliza a taxa básica de juros, conhecida como Selic, como seu principal instrumento. O Comitê de Política Monetária (Copom) definiu a taxa Selic em 11,75% ao ano, buscando equilibrar as pressões inflacionárias e assegurar a estabilidade econômica.

A inflação brasileira deve cair em 2024? Confira as NOVAS projeçõesA inflação brasileira deve cair em 2024? Confira as NOVAS projeções
A inflação brasileira deve cair em 2024? Confira as NOVAS projeções. Imagem: Adobe Stock.


Você também pode gostar:

Redução na Selic

As decisões do Comitê de Política Monetária (Copom) continuam a moldar o cenário econômico brasileiro, com projeções indicando possíveis ajustes na taxa básica de juros, a Selic, ao longo dos próximos anos. De acordo com o Boletim Focus, a expectativa é que a Selic encerre o ano de 2024 em 9% ao ano. Para o final de 2025, a estimativa aponta para uma redução, chegando a 8,5% ao ano.

Quando o Copom opta por elevar a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aumentando os preços, pois os juros mais elevados encarecem o crédito e incentivam a poupança. Por outro lado, quando o Copom opta por reduzir a Selic, a tendência é que o crédito se torne mais acessível, impulsionando a produção e o consumo.

A dinâmica econômica é complexa e influenciada por uma série de variáveis, e as decisões do Copom desempenham um papel fundamental nesse cenário. No entanto, é importante que os cidadãos se mantenham informados sobre as previsões da inflação e tendências do mercado financeiro.



Fonte: Notícias Concursos