Colecionadores compram MOEDA DE 2008 por R$ 6.000


Você já ouviu falar em numismática? Esse universo é formado por pessoas que se especializam, pesquisam ou colecionam cédulas, moedas e medalhas, e tem sido cada vez mais fácil encontrá-las no país. Inclusive, muitas delas se mostram dispostas a pagar verdadeiras fortunas por alguns modelos específicos.

Você já pensou em ganhar R$ 100 com uma única moeda? E que tal R$ 1.000? Parece algo impossível, mas a verdade é que uma moeda muito rara está sendo procurada em todo o Brasil pelos colecionadores, e eles estão dispostos a pagar até 6 mil reais pelo modelo.

Quem poderia imaginar que uma única moeda poderia valer tanto assim? Isso acontece, principalmente, por causa da sua raridade. Em resumo, muitas pessoas querem ser as únicas a possuírem o exemplar, e pagam muito dinheiro para terem o item em suas mãos.

Não é de hoje que os brasileiros estão buscando moedas raras. Contudo, nos últimos tempos, a procura por exemplares raros cresceu significativamente no país e segue tirando o sono de muitos colecionadores.

A saber, há modelos raros que custam alguns reais, mas outros chegam a valer dezenas de milhares de reais, como o exemplo que será mostrado neste texto.

Colecionadores buscam características raras

As moedas raras mexem com o imaginário dos brasileiros, e elas nem precisam ser antigas. Modelos mais recentes, de poucos anos atrás, podem se valorizar significativamente caso possuam características únicas que os tornem raros.

Na verdade, os colecionadores buscam itens que sejam peculiares e bastante restritos, possuindo alguma falha, por exemplo. Aliás, não são apenas as moedas que fazem sucesso. Os brasileiros também conseguem vender cédulas com valores bastante elevados devido a características únicas destes itens.

Veja abaixo as principais características que valorizam uma moeda ou cédula:


Você também pode gostar:

  • Exemplares fabricados para datas comemorativas;
  • Modelos com erro de cunho ou fabricação;
  • Poucos exemplares produzidos;
  • Poucas unidades em circulação no país.

Falhas tornam moeda rara e muito valiosa

Não deixe para depois! Você pode ter alguma moeda valiosa na sua carteira e nem sequer sabe disso. Confira a sua carteira ou o fundo da gaveta, busque no guarda-roupa ou no seu cofrinho, que você pode encontrar uma verdadeira mina de ouro.

Em síntese, os colecionadores estão enlouquecidos para ter uma moeda de 1 real em suas mãos. A principal característica desse item, que o torna tão especial, é que ele possui dois lados iguais, ou seja, é uma moeda bifacial, algo que não deveria existir no país.

No geral, as moedas possuem uma efígie (representação plástica da imagem de um personagem real ou simbólico) no anverso e o valor que representam no reverso. Contudo, um modelo de 1 real foi fabricado com um erro enorme. Tanto o anverso quanto o reverso possuem a mesma coisa: o valor de “1 real”.

Além disso, o modelo possui o reverso invertido. Para conferir se o modelo tem esse erro, basta girá-lo na vertical, ou seja, de cima para baixo ou de baixo para cima. Se, ao girar a moeda, o reverso ficar de ponta cabeça, significa que ele está invertido, algo que não deveria acontecer.

Moeda pode valer até mais de R$ 6.000

Esse erro até poderia ser uma coisa ruim, uma vez que a Casa da Moeda fabrica modelos idênticos e com dois lados diferentes. No entanto, essa falha pode render uma verdadeira fortuna para quem possuir a moeda rara de 1 real.

O valor de R$ 6 mil pode subir ainda mais, caso a moeda venha com certificação. Inclusive, as pessoas que possuem exemplares raros podem levar o modelo a leilão, aumentando a possibilidade de ganhar um valor ainda maior que o esperado.

Cabe salientar que o catálogo ilustrado de Moedas com Erros descreve o exemplar bifacial de 1 real, afirmando que o item possui rotação invertida. A publicação faz um alerta aos colecionadores: “verificar se não há emendas no disco que evidenciem ser uma adulteração“.

Moeda bifacial de 1 real pode ser vendida por mais de R$ 6 milMoeda bifacial de 1 real pode ser vendida por mais de R$ 6 mil
Moeda bifacial de 1 real, e com reverso invertido, pode ser vendida por mais de R$ 6 mil. Imagem: Reprodução.

Itens sem arranhão ou manchas valem mais

As pessoas que têm moedas raras precisam ficar atentas a alguns pontos antes de tentarem vendê-las. É muito comum encontrar comentários na internet de pessoas dispostas a vender moedas ou cédulas, mas nem todos sabem realmente como fazer isso.

Na verdade, essa questão é bem simples de ser resolvida, mas há alguns cuidados necessários antes de chegar a essa etapa. Em síntese, os colecionadores buscam exemplares com características específicas, ou seja, caso os modelos não possuam tais particularidades, a venda pode não se concretizar.

Veja o que aumenta o valor de uma moeda:

  • Não possuir arranhão;
  • Ter a imagem limpa e sem manchas;
  • Possuir todos os traços e marcas de fabricação.

As pessoas que tiverem exemplares nestas condições deverão ter mais facilidade para venderem seus itens, pois estes são os modelos mais procurados pelos colecionadores.

Em síntese, os especialistas afirmam que o melhor é manter a moeda conservada em algum saquinho ou papel filme para que ela mantenha as suas formas originais. Isso pode ser feito com outros modelos, que podem se valorizar com o passar do tempo. Portanto, fique atento para não deixar de ganhar uma bolada devido ao pouco cuidado com as moedas.

Por fim, os interessados em vender seus exemplares podem entrar em sites especializados, ou em sites de e-commerce, como Shopee, Mercado Livre e similares. Existem muitos colecionadores dispostos a pagar caro para terem modelos raros, e essa é uma chance para ganhar um dinheiro extra sem fazer muito esforço.



Fonte: Notícias Concursos