Descubra o processo para reverter o bloqueio no Bolsa Família em apenas 48 horas


Segundo informações divulgadas pelo Ministério do Desenvolvimento, no ano de 2023, o governo federal promoveu o bloqueio de aproximadamente 8,4 milhões de benefícios do Bolsa Família para análise, resultando no cancelamento de 3,7 milhões desses auxílios.

Para o próximo mês de janeiro, está prevista a realização de novos bloqueios. Contudo, há a possibilidade de que esses sejam revistos e liberados em um prazo de até dois dias.

De qualquer forma, o processo de pente-fino, no qual os dados são minuciosamente analisados, continuará sendo implementado.

De acordo com as autoridades, a intenção por trás dessas medidas é incentivar as famílias a esclarecerem ou regularizarem suas situações.

Diante desse cenário, é fundamental que os beneficiários estejam cientes dos requisitos necessários para manterem-se elegíveis ao Bolsa Família e regularizarem quaisquer pendências que possam comprometer o recebimento do benefício.

Então, para obter informações detalhadas sobre os procedimentos e garantir a continuidade do auxílio, continue a leitura do texto que preparamos abaixo para você.

Você pode se interessar em ler também:

Motivos que podem levar ao bloqueio do Bolsa Família e como regularizar


Você também pode gostar:

Bolsa FamíliaBolsa Família
Regularização cadastral pode desbloquear o Bolsa Família em 48 horas. Imagem: Folha Financeira.

O bloqueio do Bolsa Família é um sistema que funciona como um alerta aos beneficiários, indicando a existência de falhas no cadastro do grupo ou a não observância das condicionalidades obrigatórias.

Diversas razões podem levar ao bloqueio do benefício, destacando-se:

  • Dados Inconsistentes, errados ou falsos no Cadastro Único: informações imprecisas no cadastro podem resultar no bloqueio do Bolsa Família. A veracidade e atualização desses dados são cruciais para garantir a elegibilidade ao programa;
  • Frequência escolar inferior a 75% no ano: a participação regular na escola é uma das condicionalidades do programa. Caso a frequência escolar da família beneficiária esteja abaixo de 75%, o bloqueio pode ser aplicado;
  • Gestantes sem consulta de pré-natal: as gestantes beneficiárias devem realizar consultas de pré-natal para garantir uma gravidez saudável e esse é um dos requisitos para ser beneficiário do programa;
  • Caderneta de vacinação desatualizada: manter a caderneta de vacinação das crianças atualizada é fundamental. O não cumprimento dessa condicionalidade pode resultar no bloqueio do Bolsa Família;
  • Falta de acompanhamento nutricional em crianças de até 7 anos: o acompanhamento nutricional, com medição de altura e peso, é essencial para a manutenção dos benefícios;
  • Não realização de saque por mais de 120 dias: a não retirada do benefício por um período superior a 120 dias também pode resultar no bloqueio.

É importante ressaltar que o bloqueio não é uma punição definitiva, mas sim uma oportunidade para regularização. Os beneficiários têm a chance de corrigir as pendências e garantir a continuidade do recebimento do Bolsa Família.

Procedimentos para desbloquear o benefício em 48 horas

Recebeu um aviso de bloqueio do pagamento do Bolsa Família? Não se preocupe, pois aqui estão os passos essenciais para resolver essa situação de maneira rápida e eficiente.

  1. Notificação de bloqueio: fique atento às notificações de bloqueio recebidas através do aplicativo do programa, do Caixa Tem ou por SMS. Assim que informado sobre a suspensão, é crucial agir prontamente;
  2. Resolva a pendência conforme a notificação: identifique a natureza da pendência apontada na notificação e dirija-se ao local apropriado para solucioná-la. Dessa forma, se for uma questão de atualização de dados, visite o CRAS (Centro de Referência e Assistência Social); para questões relacionadas à saúde, vá ao posto de saúde; e se envolver o CPF, procure a Receita Federal;
  3. Regularização na unidade correspondente: após resolver a pendência, retorne à unidade do CRAS para garantir que todas as informações foram devidamente atualizadas;
  4. Atualize seu Cadastro Único: apresente o comprovante de regularização das pendências ao atualizar seu Cadastro Único, assegurando-se, assim, de que todas as informações estejam corretas e atualizadas;
  5. Aguarde Liberação: Depois que concluir essas etapas, tenha paciência. Logo, aguarde aproximadamente 48 horas para que a parcela bloqueada seja liberada na sua conta.

Por fim, em caso de dúvidas adicionais, é sempre recomendável entrar em contato com os órgãos responsáveis ou buscar orientação no próprio CRAS. Lembre-se, a regularização é fundamental para garantir o recebimento contínuo do auxílio.

“Ressaltados que a família bloqueada permanece no Bolsa Família. Uma vez sanada a razão para o bloqueio do benefício e mantido o perfil de vulnerabilidade social, a família volta a receber o benefício normalmente, inclusive os valores que não pôde sacar durante o bloqueio”, explica o comunicado do governo federal.



Fonte: Notícias Concursos