Modificações na administração dos pagamentos do Bolsa Família busca aprimorar a conveniência dos beneficiários


A mais recente medida adotada pelo Ministério do Desenvolvimento Social, Família e Combate à Fome (MDS), através da Portaria nº 954, tem como objetivo otimizar os procedimentos de pagamento do programa Bolsa Família.

Esta portaria substitui normativos anteriores, buscando aprimorar a eficiência e a acessibilidade do programa que beneficia milhões de famílias em todo o país.

Além disso, vale mencionar que, a Caixa Econômica Federal (CEF), atuando como agente operador do Bolsa Família, desempenha um papel central na implementação dessas mudanças.

Dessa forma, a portaria estabelece a obrigação da CEF em manter uma ampla rede de canais de pagamento distribuídos por todo o território nacional.

Ademais, essa rede deve garantir, no mínimo, a presença de um terminal ativo em cada município, proporcionando aos beneficiários a facilidade de realizar saques dos seus benefícios.

O terminais podem estar localizados em estabelecimentos próprios da Caixa ou em locais comerciais contratados para esse fim.

Assim, um dos aspectos mais significativos da Portaria nº 954 é a previsão da possibilidade de expansão dos canais de pagamento em áreas específicas.

Para quem busca compreender mais a fundo esse tema crucial para muitas famílias brasileiras, convidamos à leitura completa do texto abaixo.

Afinal, nele detalharemos as principais mudanças e os impactos positivos esperados com a implementação dessas medidas no programa Bolsa Família. Vem com a gente!


Você também pode gostar:

Outras atualizações estabelecidas pela portaria do Bolsa Família

Bolsa FamíliaBolsa Família
Governo otimiza procedimentos para garantir o acesso das famílias elegíveis ao Bolsa Família. Imagem: Partido dos Trabalhadores.

Como mencionamos anteriormente, foram implementadas medidas alternativas que buscam facilitar os pagamentos do Bolsa Família em regiões de difícil acesso.

A medida é especialmente destinadas a grupos específicos, como populações indígenas, quilombolas e ribeirinhas.

Dessa forma, o estabelecimento de uma logística adequada para transferência de valores a esses segmentos é uma das iniciativas tomadas.

Além do mais, em um esforço para proporcionar maior comodidade e redução de custos, o prazo de validade das parcelas mensais do benefício foi ampliado de 120 para 180 dias.

Assim sendo, a extensão beneficia diretamente as famílias residentes em territórios tradicionais, promovendo uma gestão mais flexível e adaptada às realidades locais.

A Caixa, como falamos inicialmente, tem implementado unidades itinerantes em diversas formas. Como por exemplo, barcos e caminhões, para oferecer atendimento bancário e serviços relacionados a benefícios sociais, especialmente o Bolsa Família.

Além disso, os canais autorizados, como agências, lotéricas, correspondentes Caixa Aqui e terminais de autoatendimento, estão disponíveis para ampliar o acesso da população aos serviços financeiros.

Outra medida de relevância é a garantia da gratuidade em diversos serviços, como a abertura e manutenção de contas, fornecimento de cartões, consultas de saldo e extratos, créditos e saques.

A portaria também fornece detalhes essenciais sobre o calendário de pagamentos do Bolsa Família, incluindo locais de divulgação, periodicidade e método de escalonamento das transferências.

Você pode se interessar em ler também:

Alterações significativas nos cartões do programa

Dentro do contexto atual, o programa Bolsa Família, que desempenha um papel central no apoio financeiro a famílias em situação de vulnerabilidade, passa também por importantes mudanças em suas modalidades de cartões.

Atualmente, são três as opções de cartões, todos emitidos em nome do Responsável Familiar, permitindo saques essenciais para o sustento das famílias beneficiárias.

As modalidades de cartões incluem o cartão social do PBF ou de outros programas, o cartão social pactuado do PBF e o cartão bancário do PBF ou da Caixa.

É importante destacar que, estes cartões sociais tornam possível que o Responsável Familiar efetue saques do Bolsa Família, especialmente quando o benefício é recebido por meio de conta poupança social digital ou conta poupança digital, e não há um cartão bancário ativo associado.

Dessa forma, uma inovação significativa introduzida por meio de uma nova portaria é a inclusão da conta poupança como uma opção adicional de pagamento.

Com isso, a atualização complementa as opções já existentes, como a conta poupança social digital, poupança digital, poupança simplificada e contábil, acessíveis por meio da plataforma social.

A entrega dos cartões do Bolsa Família ocorre por via postal, exigindo atenção especial em situações específicas, como o caso de pessoas em situação de rua.

Nesses casos, a entrega deve ser direcionada para o endereço registrado no Cadastro Único, preferencialmente na unidade pública socioassistencial de referência do usuário.



Fonte: Notícias Concursos