Venda de MOEDA COMUM pode render R$ 200; Confira o modelo


Você já pensou em ganhar centenas de reais com uma moeda de alguns centavos? É como se uma pessoa decidisse pagar uma conta de R$ 200 com alguns centavos. Isso parece loucura, mas o que acontece no mundo da numismática é semelhante a esse exemplo.

Por falar nisso, o termo se refere ao estudo de cédulas, moedas e medalhas sob o ponto de vista histórico, artístico e econômico. Além disso, o nome também é utilizado para designar o ato de colecionar estes itens, e tem sido cada vez mais comum encontrar pessoas dispostas a pagarem caro por modelos que possuem valores faciais baixos.

Em resumo, os numismatas não consideram o valor facial como algo importante. É um pouco difícil de entender, porque moeda é dinheiro, e os colecionadores pagam centenas de reais para terem alguns centavos. Entretanto, isso acontece, porque, o que importa não é o valor facial, mas a raridade do item.

Por que as moedas se valorizam com o tempo?

Neste texto, você vai conhecer uma moeda que teve o seu valor elevado em 800 vezes devido à sua baixa tiragem. Em suma, muitas pessoas querem ser as únicas a possuírem esse exemplar, e a dificuldade em obtê-lo aumentou significativamente o seu valor, para centenas de reais.

Aliás, não é de hoje que os brasileiros estão prestando atenção na venda de moedas difíceis de encontrar. Nos últimos tempos, a busca por exemplares raros está fazendo muitos colecionadores o sono no país. Inclusive, há modelos raros que custam alguns reais, mas outros chegam a valer milhares de reais.

A saber, os colecionadores buscam itens que tenham características peculiares e bastante restritas, como uma falha, por exemplo. Entretanto, existem outros fatores que elevam o valor de uma moeda, como:

  • Exemplares fabricados para datas comemorativas;
  • Modelos com erro de cunho ou fabricação;
  • Poucos exemplares produzidos;
  • Poucas unidades em circulação no país.

Conheça a MOEDA COMUM que vale até R$ 200


Você também pode gostar:

No Brasil, a Casa da Moeda fabrica o dinheiro conforme os pedidos feitos pelo Banco Central (BC). Em algumas ocasiões, como datas comemorativas e momentos de celebração, o BC costuma solicitar a fabricação exclusiva e limitada de alguns exemplares. Geralmente, são estes modelos que costumam valer uma fortuna devido à sua quantidade restrita.

Contudo, existem outras características que fazem uma moeda valer mais do que elas representam. Neste texto, trazemos uma moeda de 25 centavos, cujo valor disparou devido à sua tiragem considerada baixa. O item não possui erro de fabricação, ou seja, é comum, mas seu valor disparou justamente por causa da baixa tiragem.

A propósito, trata-se de um exemplar fabricado em 1999, fazendo parte da segunda família do real, e teve mais de 32 milhões de unidades produzidas. Essa é a terceira menor tiragem para moedas de 25 centavos da segunda família do real.

Confira abaixo as menores tiragens anuais para este modelo:

  1. 2016: 23,040 milhões;
  2. 2000: 25,312 milhões;
  3. 1999: 32,766 milhões;
  4. 2014: 39,552 milhões;
  5. 1998: 43,238 milhões;
  6. 2019: 82,944 milhões;
  7. 2018: 85,248 milhões;
  8. 2001: 92,642 milhões.

Vale destacar que todas as demais produções anuais superaram a marca de 100 milhões de unidades. Isso mostra que a quantidade de moedas de 25 centavos produzidas em 1999 foi muito pequena, quando comparada às demais fabricações anuais.

Exemplo de moeda de 25 centavos de 1999Exemplo de moeda de 25 centavos de 1999
Exemplo de moeda de 25 centavos de 1999. Imagem: Reprodução.

Estado de conservação influencia valor dos itens

As moedas recebem algumas classificações quanto ao seu estado de conservação. O primeiro termo se chama flor de cunho, que se refere aos exemplares que não circularam, ou seja, não apresentam qualquer sinal de desgaste ou manuseio. Em outras palavras, são moedas que não possuem marcas e estão em perfeito estado de conservação.

Por sua vez, o estado de soberba se refere às moedas que apresentam, aproximadamente, 90% dos detalhes da cunhagem original. Em síntese, os exemplares que tiveram uma pequena circulação se enquadram neste segmento.

Já a moeda muito bem conservada (MBC) se caracteriza por ter mais sinais de manuseio e uso. Os itens devem apresentar, aproximadamente, 70% dos detalhes da cunhagem original. Além disso, o seu nível de desgaste deve ser homogêneo, sem ter um local bem mais desgastado que outro.

De acordo com o catálogo ilustrado de Moedas com Erros, edição de 2023, a moeda comum de 25 centavos de 1999 pode ser vendida pelos seguintes valores:

  • Flor de cunho: R$ 200,00;
  • Soberba: R$ 100,00;
  • MBC: R$ 8,00.

Por fim, os interessados em vender seus exemplares podem entrar em sites especializados. Há muitos colecionadores dispostos a pagar caro para terem modelos raros, e essa é uma chance para ganhar um dinheiro extra sem fazer muito esforço.



Fonte: Notícias Concursos