Catálogo de Michael Jackson comprado pela Sony em um acordo recorde


Ade acordo com vários pontos de venda como Billboard e Variety, Sony Music Group acabei de fechar um recorde lidar com Michael Jackson propriedade por metade de seu catálogo. O negócio supostamente custa cerca de US$ 1,2 e US$ 1,5 bilhão, com a Sony pagando pelo menos US$ 600 milhões por sua participação.

A compra inclui masters publicados e gravados, o que, de acordo com a Variety, poderia ser potencialmente a venda mais cara dos ativos de um artista na história do entretenimento. Superaria o valor que Queen está buscando US$ 1,2 bilhão.

De acordo com a Billboard e a Variety, este acordo incluiria as músicas de Michael Jackson, e o catálogo da publicação Mijac seria adicionado à compra.

Este catálogo inclui o catálogo de publicação de 250 músicas de Sly & the Family Stone e canções icônicas escritas ou interpretadas por artistas como Jerry Lee Lewis, Jackie Wilson, Curtis Mayfield, Ray Charles, Percy Sledge e Dion.

As vendas milionárias de catálogos de música

A Sony esteve envolvida em algumas das maiores vendas de catálogo do setor até agora. Anteriormente, a gravadora obteve os direitos do cantor e compositor norte-americano Bruce Springsteen por um valor recorde de US$ 500 milhões.

Também comprou os direitos do catálogo de discos de Bob Dylan, depois que o lendário compositor vendeu seus direitos de publicação para a Universal Music por quase US$ 400 milhões.

Outros artistas também decidiram vender seus direitos musicais, como o cantor canadense Justin Bieber, que obteve cerca de US$ 200 milhões em um acordo com a empresa Hipgnosis Songs Capital.

Esta mesma empresa também possui o catálogo de Shakira e Justin Timberlake, entre muitos outros.

Este catálogo inclui o catálogo de publicação de 250 músicas de Sly & the Family Stone e canções icônicas escritas ou interpretadas por artistas como Jerry Lee Lewis, Jackie Wilson, Curtis Mayfield, Ray Charles, Percy Sledge e Dion.





Fonte: Jornal Marca