Tim Bradley desrespeita Canelo: Munguia é tudo que Canelo Alvarez gostaria de ser com a torcida


Tim Bradley afirmou que Jaime Munguia tem todo o amor dos fãs de boxe que Canelo Álvarez gostaria de ter conseguido depois que o primeiro nocauteou John Ryder na nona rodada, em 28 de janeiro, no Footprint Center, no Arizona.

O vencedor de Ryder x Munguia esperava-se que acertasse um tiro em Canelo‘, e vamos esperar para ver como isso vai se desenrolar, mas se o lutador veterano concordar, então a categoria dos super-médios está preparada para uma luta pelo título totalmente mexicano.

Canelo Alvarez é chamado de ‘barato’ por presentear crianças mexicanas com notas de US$ 50Instagram: @SUPERCARSGDL

E agora Bradley tentou colocar lenha na fogueira depois de elogiar o jogador de 27 anos, que agora soma 43 vitórias consecutivas, sendo 34 por nocaute.

“Ele é o epítome do boxe ao estilo mexicano”, Bradley disse à Pro Boxing TV. “Esse cara nunca está em uma briga monótona, é sempre divertido.

“Ele disse ‘Vou levar um pouco do seu, deixe-me ver se você pode pegar um pouco do meu’. Essa é a mentalidade dele. Não me mate é tudo Canelo gostaria de estar com os fãs.”

Munguia reflete sobre vitória

Não me mate deu um passo mais perto de iniciar uma luta contra o lendário Caneloque é indiscutível na categoria super-médio no momento.

Na vitória sobre a Grã-Bretanha Ryderele arremessou mais, acertou mais, teve uma porcentagem de aterrissagem maior, lançou mais jabs e acertou mais e lançou e acertou mais golpes poderosos, produzindo um desempenho dominante de acordo com o CompuBox.

Se isso não bastasse, ele caiu Ryder no segundo round e finalizou-o por nocaute técnico no nono para mostrar que ele é o próximo na fila para uma chance pelos títulos.

Depois disso, ele aproveitou a oportunidade para gritar Canelo mas foi respeitoso na forma como escolheu fazê-lo, talvez não querendo cutucar muito o urso.

“Será uma grande luta entre os mexicanos”, Não me mate, 27, de Tijuana. “E se Canelo nos dá uma chance, será uma honra estar no mesmo ringue que ele.”





Fonte: Jornal Marca