Gerente explica por que Alex Pereira não lutará no UFC 301 e discute potencial luta com Tom Aspinall


O campeão meio-pesado do UFC, Alex Pereira, fraturou um dedo do pé duas semanas antes do confronto na luta principal do UFC 300 contra Jamahal Hill e ainda venceu por nocaute no primeiro round, quebrando outro dedo do pé durante a luta. “Poatan” ainda dobrou a ideia de dar a volta por cima e lutar 21 dias depois como peso pesado no UFC 301, mas seu empresário Jorge Guimarães quer desacelerar as negociações.

Guimarães disse no MMA Fighting’s Trocação Franca podcast que Pereira estava preocupado com a lesão no UFC 300, mas pediu para que ele não informasse a promoção, pois “quero lutar de qualquer maneira” no UFC 300. Com sua primeira defesa de título bem-sucedida agora nos livros, Pereira precisa relaxe e cure antes de reservar sua próxima tarefa.

“Isso não vai acontecer de jeito nenhum, principalmente agora que ele quebrou outro dedo do pé”, disse Guimarães sobre a luta de Pereira em 4 de maio, no Rio de Janeiro. “Ele tem que ir ao estaleiro e deixar a poeira baixar e comemorar a vitória. Talvez [go to Brazil] para assistir ao evento, mas sem lutas para ele.”

O campeão interino dos pesos pesados ​​do UFC, Tom Aspinall, estava no ringue na T-Mobile Arena no sábado e depois postou uma foto em suas redes sociais vendo Pereira se preparando para entrar no octógono, e Guimarães brincou que o desempenho de Pereira “deixou os cabelos de Aspinall em pé”. Dito isto, discutir um confronto campeão x campeão em Manchester, provavelmente em julho, seria “prematuro”.

“Eu não acho [fighting Pereira] é uma boa ideia para a Aspinall neste momento”, disse Guimarães. “Temos que ver o que vai acontecer. Acho que ainda é muito prematuro. Aspinall é o campeão interino, por que arriscaria lutar contra ‘Poatan’? não acho que faça muito sentido [for Aspinall]não acho que seja uma boa ideia [for Aspinall]. Para nós, é [a good idea].”

Guimarães disse que o plano agora é que Pereira defenda o título dos meio-pesados ​​em seguida, mas está aberto à ideia de subir para o peso pesado se o UFC fizer a oferta certa.

“Ele tem vontade e vou te contar uma coisa, ele vai fazer um trabalho incrível no peso pesado”, disse Guimarães. “Ele é uma luta super dura para qualquer um do peso pesado também. Ele está com fome de lutar. Ele diz que seu tempo está se esgotando e que quer alcançar o máximo que puder. Ele está extremamente confiante e acho que brilharia no peso pesado. Vamos ver o que o UFC tem para nós, mas ele não vai lutar no Rio de Janeiro.”



Fonte: mma fighting