Andrew Peeke: ex-torcedor dos Panteras, atual defensor dos Bruins


BOSTON – Andrew Peeke pode dever sua carreira na NHL a Stanley C. Panther.

Peeke tinha 4 anos quando seus pais o levaram a um evento de patinação organizado pelo mascote do Florida Panthers. A partir daí, o nativo de Parkland, Flórida, se apaixonou pelo hóquei e, por sua vez, pelos Florida Panthers.

Esse amor foi estimulado por seu pai, Cliff Peeke, natural de Michigan e detentor de ingressos para a temporada dos Panteras. Andrew praticamente cresceu indo para sua arena em Sunrise, assistindo a um hóquei emocionante, embora nem sempre bem-sucedido.

“Como torcedor, não havia muitos jogos ou atmosferas de playoffs, então obviamente ser torcedor naquela época era difícil”, disse Peeke.

Muita coisa mudou desde então. A arena da Flórida está lotada para jogos em casa. Os Panteras são candidatos à Copa Stanley. E Andrew Peeke agora está torcendo contra eles.

Ele tem que fazer isso, porque eles estão tentando encerrar a temporada dele.

Peeke é defensor do Boston Bruins, que enfrenta os Panteras na segunda rodada dos playoffs da Conferência Leste. Ele passou a maior parte de sua vida esperando que uma das franquias menos bem-sucedidas da liga pudesse finalmente ter sucesso. Agora, ele está tentando ajudar sua equipe a evitar isso.

“Poder ver aquele prédio cheio e a paixão [Panthers fans] tenho… agora, não é isso que me importa”, disse ele. “No momento, estou tentando eliminá-los nos próximos jogos. Ser capaz de dizer basicamente ‘danem-se vocês’.”

Peeke, 26 anos, foi adquirido pelo Boston do Columbus Blue Jackets em uma negociação em 8 de março. É sua quinta temporada na NHL, limitada a 38 jogos na temporada regular devido a lesão. Ele jogou seus três primeiros jogos de pós-temporada com os Bruins, incluindo o jogo 3 contra seu time de infância, os Panteras.

“É muito legal. Se você disser para mim, jovem, que um dia joguei contra esse time, eu diria ‘de jeito nenhum'”, disse ele. “Mas estar nesta posição, obviamente jogando pelos Bruins e tendo essa honra, é muito especial. O fato de ser contra o time da sua cidade torna tudo ainda melhor.”


QUANDO OS JOGADORES DA NHL falam sobre enfrentar o time pelo qual torceram quando eram jovens torcedores, geralmente estão falando de alguém que usava pijama dos Maple Leafs. Não é tipicamente alguém que torce por Ed “JovoCop” Jovanovski, o Florida Panther favorito de Peeke, em uma arena onde os fãs jogam ratos de borracha no gelo.

(Para que conste, Peeke disse que nunca lançou um. Ou pelo menos acredita que não.)

Peeke é um dos quase uma dúzia de jogadores atuais da NHL com raízes na Flórida, alguns dos quais também cresceram como fãs dos Panteras. O defensor do Detroit Red Wings, Shayne Gostisbehere, idolatrava Pavel Bure enquanto crescia. O defensor do Ottawa Senators, Jakob Chychrun, jogou no programa Florida Jr. Panthers. O mesmo aconteceu com o atacante do Colorado Avalanche, Brandon Duhaime, natural de Coral Springs que cresceu como um torcedor obstinado dos Panteras.

Como muitos jogadores nascidos na Flórida com planos de seguir uma carreira profissional no hóquei, Peeke deixou o estado aos 15 anos para aprimorar suas habilidades e chamar a atenção do mundo do hóquei. Ele dá crédito a seus pais por fazerem o sacrifício financeiro para mandá-lo para a South Kent Prep School, em Connecticut. A partir daí, ele jogou pelo Green Bay Gamblers da USHL antes de ser convocado pelo Blue Jackets No. 34 em 2016. Ele jogou três temporadas pela Universidade de Notre Dame e foi o capitão do time em 2018-2019. Ele fez sua estreia na NHL na temporada seguinte.

Ele ainda poderia ter trilhado esse caminho se tivesse permanecido na Flórida?

“É difícil dizer. Não tenho bola de cristal, mas a cada ano que você fica na Flórida depois de uma certa idade, é cada vez mais improvável”, disse ele. “Se você é um olheiro, provavelmente não irá tanto quanto vai ver os jogadores em Boston.”

Isso pode eventualmente mudar. De acordo com o USA Hockey, os números de participação na Flórida continuam a aumentar: nos últimos cinco anos, o número de jogadores com idades entre 15 e 16 anos na Flórida aumentou 28%, e o número de jogadores de 9 e 10 anos aumentou. em 32%

O sucesso recente dos Panteras só ajudará nesse crescimento. Depois de chegar aos playoffs duas vezes em 18 temporadas, a Flórida apareceu na pós-temporada por cinco temporadas consecutivas, perdendo na final da Stanley Cup na temporada passada para o Vegas Golden Knights.

“Obviamente, sendo um cara da Flórida, quero que o jogo cresça, então estar nos playoffs é uma grande coisa para o hóquei na Flórida”, disse Peeke.

Infelizmente, o que é bom para a Flórida não é bom para Andrew Peeke nesta pós-temporada.

“Tenho muitos amigos fãs da Flórida, então eles estão divididos. Mas isso é problema deles”, disse ele. “Tenho que me concentrar em usar o ‘B’ e jogar para os caras.”



Fonte: Espn