Anthony Pettis está pronto para Cedric Doumbe em seguida, a menos que ele ‘cague na cama’ novamente como em sua última luta


Anthony Pettis chegou a Paris na noite de terça-feira com um propósito – marcar uma futura luta contra o ex-campeão de kickboxing do GLORY, Cedric Doumbe.

Com luta de boxe já marcada contra Chris Avila para julho, Pettis recebeu um telefonema do PFL para avaliar seu interesse em lutar contra Doumbe. Não muito depois dessa conversa, Pettis embarcou em um voo com destino à França, onde agora ficará sentado ao lado da jaula para assistir ao confronto de Doumbe com Jaleel Willis no co-evento principal do Bellator Paris, na sexta-feira.

“[PFL] quero que eu lute contra o Doumbe”, disse Pettis ao MMA Fighting na quarta-feira, “se ele tiver um bom desempenho nesta sexta, o que eu também estou a fim. Onde estou na minha carreira, quando se trata de artes marciais mistas, procuro lutas emocionantes e divertidas. O cara tem que ter um nome e algo por trás dele. Cedric verifica a maioria dessas caixas, exceto sua última luta.

“Essa foi a única coisa que contei ao PFL. A última luta dele, não gostei do resultado. Ele tem que fazer algo impressionante para que eu queira lutar contra esse cara e fazer sentido.”

Na partida anterior, Doumbe sofreu sua primeira derrota profissional no MMA após reclamar com o árbitro Marc Goddard sobre uma lasca no pé. Quando Goddard ordenou que ele continuasse lutando, Doumbe basicamente pediu um tempo limite para resolver a farpa, em vez de enfrentar seu oponente.

Um segundo depois, Goddard desistiu da luta e Doumbe sofreu uma derrota.

“Ele ainda tem muito que aprender quando se trata de artes marciais mistas”, disse Pettis sobre Doumbe. “Ele não gosta da pressão para frente e de lutar com o pé traseiro, e as mudanças de nível lhe causaram problemas. Eles não lhe deram uma luta fácil. Seu último oponente foi um cara durão. Esse cara era bom. Ele foi um teste muito bom naquele momento de sua carreira, mas mostrou as falhas em seu jogo de artes marciais mistas. Grande atacante, mas você o coloca em desvantagem e muda de nível, ele se questiona. Ele não quer estar lá. Vimos com a farpa.

“Se ele queria lutar e vencer aquela luta, era um round a um round, essa era a porra da luta dele, e ele não fez isso. Foi o que eu disse ao PFL. Meu interesse diminuiu um pouco depois desse último, mas aí eles armaram para ele, que deve ser um ótimo nocaute, uma ótima finalização.”

Mais do que tudo, Pettis diz que é isso que ele precisa ver fora de Doumbe na sexta-feira para se manter interessado na luta.

Depois de derrotar o lendário boxeador Roy Jones Jr. em abril de 2023, Pettis tem oportunidades à sua disposição, como a luta com Avila no card Jorge Masvidal x Nate Diaz em julho. Pettis não terá problemas em continuar no boxe por enquanto se Doumbe não cumprir seu dever no Bellator Paris.

“Ele tem que ser impressionante”, disse Pettis. “Estou aqui para vê-lo nocautear. Esta é sua cidade natal. Eu sei que ele tem uma grande base de fãs aqui. É isso que estou procurando. Alguém com um nome. Ele preenche muitos desses requisitos, mas ainda é jovem na carreira, é um cara promissor.

“Se ele for lá e cagar na cama na sexta, provavelmente vou continuar no boxe e fazer outra luta de boxe antes de fazermos outra luta de MMA. Mas se ele for lá e impressionar e fizer o que deve fazer, marcaremos uma partida no final do ano.”

Pettis está “muito familiarizado” com a carreira de Doumbe desde sua época dominante no kickboxing, mas uma luta entre eles aconteceria sob as regras do MMA – e isso é muito diferente.

Há uma longa lista de kickboxers que fizeram a transição para o MMA e lutaram para ter sucesso. Pettis sabe que daria um grande passo na competição para Doumbe, e seria afundar ou nadar para o ex-destaque do GLORY em apenas sua sétima luta profissional.

“Fiquei muito surpreso [PFL wanted this fight], mas não com seu pedigree de kickboxing”, disse Pettis. “Acho que o que o PFL precisa é de lutas emocionantes. Quando aconteceu aquela última luta, eles tiveram um grande público, Paris estava lotada e o final meio que fode com tudo que eles construíram. Então eu acho que eles estão tentando se recuperar disso e conhecem o estilo de luta dele e o meu estilo de luta para uma luta divertida e ótima. Não vou voltar para tentar lutar por um título no PFL ou no Bellator agora. Só volto ao MMA para lutas divertidas, que façam sentido e que eu saiba que posso ir e ter um bom desempenho.

“Você viu isso na última luta dele. Cada vez que aquele cara mudava de nível e estava com o pé da frente, Doumbe estava com o pé de trás e recuando e não parecia tão perigoso. Ele parecia muito humano. Na luta anterior, ele conseguiu sair um pouco mais para frente e você viu esse resultado. Eu sei que a força dele está avançando e tentando fazer kickboxing, mas esta é uma luta de artes marciais mistas. Meu jiu-jitsu é dia e noite diferente dele. Golpeador no MMA, tenho muito mais experiência que ele. Já lutei com caras mais durões. Primeiro ele tem que parecer impressionante, e depois vou explicar o que preciso fazer para vencer esse cara.”



Fonte: mma fighting