Jadon Sancho não está “totalmente recuperado” do último abuso racista do Euro


Jadon Sancho disse que ainda não se recuperou totalmente dos abusos racistas a que foi submetido após a derrota da Inglaterra nos pênaltis para a Itália na final da Euro 2020.

Sancho, Bukayo Saka e Marcus Rashford perderam pênaltis na derrota da Inglaterra pela Itália no Estádio de Wembley, em julho de 2021, perdendo o primeiro grande troféu para a seleção masculina do país desde 1966.

– Transmissão na ESPN +: LaLiga, Bundesliga, NWSL mais (EUA)

O trio, todos negros, foi posteriormente alvo de uma enxurrada de abusos racistas online, gerando condenação generalizada e uma investigação policial.

“Isso ainda é algo que às vezes está na minha cabeça”, disse Sancho à CNN em entrevista publicada quinta-feira. “Acho que ainda não me recuperei totalmente, mas estou tentando o meu melhor para superar isso.

“A reação que tivemos com isso não foi legal. Estando em Londres, nem em um milhão de anos, eu teria pensado que teríamos recebido [that], especialmente representando nosso país. É uma memória que tento bloquear, mas não consigo agir como se não tivesse acontecido. Então essa é uma daquelas memórias que você tem que tentar superar e ser positivo.”

Sancho retornará a Wembley para a final da Liga dos Campeões no sábado, quando fará parte do time do Borussia Dortmund que enfrentará o Real Madrid, 14 vezes vencedor.

O jogador de 24 anos admitiu que era “surreal” estar a preparar-se para o maior jogo do futebol europeu de clubes, dadas as suas origens humildes e a temporada improvável que começou no Manchester United.

Sancho, que chegou ao United vindo de Dortmund em 2021, retornou à Alemanha em janeiro, após um desentendimento com o técnico do Man United, Erik ten Hag, no início da campanha.

“Para ser justo, parecia surreal”, disse ele. “Mais uma vez, ainda não me ocorreu. Tenho certeza de que nos próximos dias, provavelmente, quando viajarmos para Londres, é quando isso vai me atingir de maneira adequada.

“Sou o tipo de pessoa que não gosto de fazer novos amigos. Tenho uma grande preocupação com a confiança – é difícil para mim confiar nas pessoas. [London]é isso que você acabou de aprender, é como uma grande família… É por isso que sinto que me conecto tanto com o Dortmund.

“É uma loucura, sabe, não acho que alguém esperaria isso – eu estar na final da Liga dos Campeões, especialmente no lugar de onde vim. Estou muito feliz.”



Fonte: Espn