Jim Otto, centro do Hall da Fama, ‘Sr. Raider’, morre aos 86


Jim Otto, um centro do Hall da Fama do Futebol Profissional cuja icônica camisa nº 00 ancorou o meio da linha ofensiva dos Oakland Raiders por 15 temporadas, morreu aos 86 anos.

Os Raiders, que se mudaram de Oakland para Las Vegas em 2020, anunciaram sua morte no domingo à noite, chamando-o de “The Original Raider”. A causa da morte não foi conhecida imediatamente.

Dizer que Otto foi o centro dominante de sua época – alguns diriam que foi de qualquer época – seria um eufemismo. Desde o momento em que ele se agachou sobre a bola no primeiro jogo dos Raiders na nova AFL em 1960, ninguém mais começaria como centro para Oakland até que Otto se aposentasse após a temporada de 1974.

“Sempre fiz o meu melhor pelo centro de jogo dos Raiders e foi uma sensação muito boa saber que consegui isso”, disse Otto à ESPN em 2019.

Ele foi o único pivô All-AFL em toda a existência da liga, de 1960 a 1969, e foi um dos três únicos jogadores que jogaram em todos os 140 jogos da temporada regular da AFL (George Blanda e Gino Cappelletti foram os outros).

Otto, que vestiu o número 50 durante sua primeira temporada em Oakland antes de mudar para o 00, também foi selecionado para o Pro Bowl nos primeiros três anos após a fusão AFL-NFL. Ele foi All-Pro do time principal 10 vezes.

“Muitas vezes considero ser um jogador de futebol como um gladiador”, disse Otto ao Bleacher Report em 2009. “Há algo dentro de você que diz: ‘Quero ir lá e provar meu valor’. Na maioria das vezes você vai se machucar. Essa é a vida que você escolhe. Algumas pessoas precisam de um desafio na vida e jogar hóquei ou futebol foi a maneira que eu pude provar.

Apesar de uma longa lista de lesões, Otto nunca perdeu um jogo em 15 anos. Mas essas lesões acabaram por ter um custo, pois ele passou por mais de 70 cirurgias – muitas delas nos joelhos machucados – e em 2007 teve que amputar a perna direita após duas infecções potencialmente fatais. Ele também foi diagnosticado com câncer de próstata.

Em sua carreira de 15 anos, os Raiders conquistaram sete títulos de divisão e foram campeões da AFL em 1967, perdendo para o Green Bay Packers no Super Bowl II. Mais tarde, ele retornou aos Raiders para trabalhar na diretoria.

Otto atuou recentemente como diretor de projetos especiais da equipe. Organizou reuniões de ex-jogadores e eventos para torcedores nos camarotes luxuosos, além de fazer aparições públicas pelo time.

Ele também desempenhou um papel fundamental na negociação da mudança do time de volta de Los Angeles para Oakland antes da temporada de 1995.

Maxx Crosby, três vezes pass-rusher do Pro Bowl dos Raiders, estava entre os que acessaram as redes sociais no domingo à noite para compartilhar suas idéias sobre o legado de Otto.

Ele foi introduzido no Hall da Fama do Futebol Profissional em 1980, seu primeiro ano de elegibilidade. Em 2019, ele foi nomeado para o time NFL 100 All-Time.

Otto cresceu em Wausau, Wisconsin, e frequentou a Universidade de Miami, onde atuou como central no ataque e linebacker na defesa.

“Quero ser uma pessoa que sempre deu o máximo por todos, que fui um homem de equipe em todos os aspectos”, disse Otto em entrevista de 2016 à WSAW em Wausau. “Fora do esporte, eu era um homem de equipe daquela organização. Quero ser respeitado por isso. Nunca esnobei ninguém. Não acredito nisso. Eu simplesmente amo as pessoas.”

Otto deixa sua esposa, Sally; seu filho Jim Jr. e sua nora Leah; e seus 14 netos – Alice, Sarah, Amy, Amanda, Josiah, Hannah, Jeremiah, Isaiah, Jennifer, Avery, Noah, Aiden, Roman e Ellie.

A Associated Press contribuiu para este relatório.





Fonte: Espn