Matt Brown diz que Ronda Rousey não tem ninguém para culpar além de si mesma pela forma como é tratada: ‘Mostre um pouco de humildade’


Ronda Rousey, membro do Hall da Fama do UFC, falou mais sobre luta nos últimos meses, enquanto apoiava o lançamento de sua autobiografia, do que durante os últimos anos competindo no esporte.

Ela discutiu abertamente como uma infinidade de concussões levou à sua aposentadoria e foi na verdade uma concussão antes de sua luta contra Holly Holm que desempenhou um papel tão importante em sua primeira derrota. Mais recentemente, Rousey afirmou que foi difamada pela mídia do MMA e que suas conquistas foram tão envoltas em negatividade que ela está convencida de que seria vaiada para fora do prédio se comparecesse a um evento do UFC.

A lenda recentemente aposentada do UFC, Matt Brown, não entende por que Rousey está reclamando tanto, especialmente devido ao seu nível particular de celebridade.

“Quero dizer, a primeira coisa que me vem à mente é qual é o problema?” Brown disse no último episódio de O lutador contra o escritor. “Como se ela estivesse reclamando? Qual é o problema? Talvez as pessoas tenham dito coisas ruins sobre você. Bem-vindo a ser um humano. Bem-vindo a ser famoso. O que você esperava?

“Não é como se ela estivesse salvando bebês e essas coisas. Ela não estava lá dando o seu melhor o tempo todo. O que você espera?

Se Rousey realmente quer entender por que ela caiu em desgraça com os fãs do UFC, Brown diz que ela não precisa ir além da litania de entrevistas que ela deu em apoio ao lançamento de seu livro.

Ela expôs uma longa lista de motivos pelos quais sofreu derrotas para Holm e Amanda Nunes no final de sua carreira. Rousey afirmou especificamente que essas derrotas a machucaram muito mais do que qualquer outra pessoa, porque ninguém jamais amou ser campeã do UFC como ela.

Apesar de tudo, Rousey explicou todas as coisas que deram errado em sua carreira no UFC, mas ela quase não se referiu a Holm ou Nunes como adversários, muito menos o que eles fizeram de certo para vencê-la.

“Chego onde ela está amarga e não consegue aceitar a perda e culpar externamente é sempre a coisa errada”, disse Brown. “Mesmo que você tenha se machucado, e posso me identificar com isso porque aconteceu comigo. Já me machuquei em brigas. Estive doente. Já tive gripe nas brigas. Eu tenho muitas brigas. Você não tem 50 lutas e sempre dá certo. Essa é uma das razões pelas quais temos tanto respeito por caras como [Julio Cesar] Chávez, que venceu 84 lutas seguidas ou vou mencionar Floyd [Mayweather], ele venceu 49 consecutivas. Em algum momento de uma dessas brigas, a merda não vai dar certo e você vai ter que lutar contra isso.

“Então ela pensar que é especial porque teve uma concussão, é bobagem. Eu poderia olhar para uma perda e poderia lhe dar todos os motivos pelos quais perdi. Mas sempre que você diz isso em voz alta, é uma desculpa. É pura desculpa. Se alguém tocar no assunto e a primeira coisa que você falar é o quão ferido você ficou ou algo assim. Mesmo que você esteja tentando fazer disso um motivo, é uma desculpa. Isso é tudo que há para fazer.

Enquanto Rousey detalha as lutas que enfrentou e que influenciaram suas derrotas, Brown diz que isso ignora completamente a possibilidade de seus oponentes estarem lidando com o mesmo tipo de problemas.

“Como quando ela lutou com Holly Holm, aposto que se conversássemos com Holly ela diria ‘sim, eu tive essa lesão e essa lesão.’ Como sabemos que ela não teve uma concussão? Brown disse. “É simplesmente bobagem.

“Eu sinto que é uma daquelas coisas que deveríamos quase simplesmente ignorar. Quase não quero alimentá-lo. Isso não ajuda a situação e é lamentável.”

Por mais que concussões, lesões ou outros problemas possam ter influenciado as derrotas de Rousey, Brown simplesmente não vê que ela realmente aprendeu muito com essas experiências além de tentar explicar por que foi espancada.

Isso leva à reação dos fãs, que veem as declarações de Rousey como desculpas, e não como alguém que aceitou a derrota e agora busca se recuperar melhor dela.

“É simplesmente triste”, disse Brown. “Porque ela tem que viver consigo mesma. Essa é a parte triste. Eu tenho perdas. Tenho muito mais perdas do que Ronda. Lutei muito mais vezes que a Ronda. Mas você não quer viver dessa maneira, culpando outras pessoas pela maneira como sua vida é ou pela maneira como você é retratado.

“Não duvido nem por um segundo que ela conseguiria conciliar tudo. Como se ela pudesse entrar e mostrar um pouco de humildade – como você disse, basta mostrar um pouco de humildade e todo mundo estaria se curvando diante dela novamente. Contrate um maldito relações-públicas! Basta contratar um relações-públicas meio decente, dizer o que dizer, apenas dizer a merda e o mundo será seu novamente. Você está de volta ao topo da lista de celebridades. Mas ninguém quer ouvir a merda que ela está dizendo.”

Brown também questiona a maneira como Rousey aparentemente pintou suas experiências como totalmente únicas porque ela ocupava um ar rarefeito enquanto competia no UFC.

Não há como negar que Rousey enfrentou pressão e expectativa diferente de quase qualquer outra pessoa no esporte, mas Brown diz que se ela foi a maior estrela ou a abridora da cortina abrindo o card, as emoções e turbulências que os lutadores enfrentam são quase universais.

“Isso é uma merda de lutador todos os dias. Você simplesmente não é um lutador”, disse Brown. “Ela não passou por nada que qualquer outra pessoa [hasn’t gone] através. Claro, isso aconteceu com ela em um palco muito maior do que a maioria, que é o que eu acho que a afetou. Ela não estava mentalmente preparada para esse tipo de estágio e simplesmente não lidou bem com isso.”

Se Rousey realmente quisesse ser abraçada pelos fãs do UFC novamente, Brown sabe que é possível, mas ele simplesmente não espera que ela tome as medidas necessárias para reconstruir essa ponte.

“A maior parte do mundo do MMA quer amá-la”, disse Brown. “Ela é uma figura perfeita para todos nós amarmos e nos apegarmos. Ela tem todas as qualidades certas, mas nos afasta. Ela empurra isso para longe dela. Acho que todo fã quer amá-la.”

Ouça novos episódios de The Fighter vs. The Writer todas as terças-feiras com versões apenas de áudio do podcast disponíveis em Podcasts da Apple, Podcasts do Google, Spotifye iHeartRadio



Fonte: mma fighting