Alex Pereira reage à saída de Conor McGregor do UFC 303 com o dedo do pé quebrado depois de lutar com a mesma lesão


Conor McGregor sofreu uma fratura no dedo do pé durante as últimas semanas de seu campo de treinamento forçou uma mudança dramática na luta principal do UFC 303, com o campeão meio-pesado Alex Pereira se apresentando em cima da hora para salvar o dia em uma revanche contra Jiri Prochazka.

É claro que está bem documentado que Pereira quebrou o dedo do pé antes de sua luta anterior no UFC 300, mas ele permaneceu no card histórico e nocauteou Jamahal Hill no primeiro round. Quase dois meses depois, Pereira luta novamente – desta vez com apenas algumas semanas para se preparar para defender o cinturão – mas o veterano de oito lutas do UFC não hesitou em aceitar quando a promoção chegou.

Então, como ele se sente com o fato de McGregor ter desistido de uma luta com a mesma lesão que enfrentou no UFC 300?

“Você nunca pode julgar a dor das pessoas”, disse Pereira sobre McGregor durante o media day do UFC 303. “Cenários diferentes, situações diferentes.”

Do jeito que Pereira vê, ele ainda tem muito trabalho a fazer antes de chegar perto do nível de riqueza e segurança financeira de McGregor. Esse tipo de colchão onde McGregor tecnicamente nunca mais tem que lutar um dia em sua vida permite que ele fique de fora quando não está com a saúde plena.

Pereira não sente que tenha a mesma opção agora, mas talvez sua escolha de competir no UFC 300 tivesse sido diferente com centenas de milhões de dólares em sua conta bancária.

“Ele fez seu nome. Ele ganhou seu dinheiro. Ele fez a vida dele”, disse Pereira. “Estou na metade do caminho. Então eu lutei com o dedão quebrado por causa da minha situação, mas talvez se eu estivesse na situação dele eu não teria lutado. Portanto, não posso julgar.”

Quanto à sua preparação para o UFC 303, Pereira se recusou a dar desculpas e muito menos a explicar quaisquer possíveis deficiências que enfrentou após aceitar uma luta pelo título de cinco rounds com menos de duas semanas para se preparar.

“Sinto-me muito bem neste momento, independentemente do curto prazo ou não”, disse Pereira. “Estou muito feliz por estar aqui.”

Embora espere vencer e defender o título no sábado, Pereira sabe por experiência própria que nada está garantido quando se trata de esportes de combate.

Mesmo sendo reconhecido como um dos atacantes mais letais da história do kickboxing ou do MMA, Pereira também já foi nocauteado no passado e sabe que pode fazer tudo certo no UFC 303 e ainda sair com uma derrota no cartel.

Essa é provavelmente a mesma atitude que Prochazka teve depois de perder para Pereira, em novembro passado, na luta que lhe custou o título dos meio-pesados ​​do UFC.

Por compreender perfeitamente a imprevisibilidade que acompanha a luta, Pereira acredita que vai vencer enfaticamente, mas se o pior acontecer e ele perder, “Poatan” tem plena confiança de que verá Prochakza novamente em uma trilogia.

“Nada da organização [telling me I get an immediate rematch] mas acho que se Jiri vencer no sábado, acho que faz mais sentido uma revanche direta”, disse Pereira. “Você tem muitos caras na fila, mas acho que em termos de brigar, acho que faz mais sentido.”

Se Pereira vencer no UFC 303, ele eliminará, sem dúvida, uma das maiores ameaças ao seu cinturão, pois teria duas vitórias sobre Prochazka. É uma ocasião incrivelmente rara quando alguém dá uma terceira mordida na maçã depois de algumas derrotas.

Supondo que a noite corra como ele deseja, Pereira sabe que haverá muitas opções disponíveis para ele, incluindo um possível confronto com o ex-desafiante ao título Anthony Smith, que também compete no UFC 303 no sábado em meio a uma rivalidade crescente entre os dois. eles.

Por enquanto, Pereira promete que nada disso importa, mas seja Smith, Magomed Ankalaev ou qualquer outra pessoa, o terrível brasileiro espera estar esperando por eles.

“Eu vou lutar com qualquer um”, disse Pereira. “Eu não sou quem escolhe, mas estarei pronto assim como eu estava para essa luta.”



Fonte: mma fighting