Matt Brown: Conor McGregor ainda merece críticas, mesmo que o dedo do pé quebrado seja uma razão legítima para não lutar


Conor McGregor deixou claro que não quer mais lutar lesionado, o que teve um papel importante em sua decisão de abandonar o UFC 303 após sofrer uma fratura no dedo do pé durante um treino.

Vindo de uma perna quebrada e de uma ausência de três anos, o astro irlandês não quer deixar nada ao acaso, especialmente enquanto se prepara para enfrentar um finalizador conhecido como Michael Chandler. Embora muitos fãs estejam desapontados por McGregor não competir mais no sábado, a lenda do UFC Matt Brown diz que o ex-campeão das duas divisões está totalmente justificado em desistir da luta se não estiver realmente saudável.

O problema é que McGregor construiu sua reputação de sempre aparecer e zombou de Rafael dos Anjos depois que o brasileiro desistiu do confronto programado em 2016, após sofrer uma fratura no pé.

“Infelizmente a reação inicial foi que todos lembramos dele e do Rafael dos Anjos, certo?” Brown disse no último episódio de The Fighter vs. The Writer. “Infelizmente, essa foi a primeira coisa que pensamos. Realisticamente, um dedo do pé quebrado é um bom motivo para desistir de uma briga. A porra de um dedo do pé quebrado é uma merda. Isso dói. Você não deveria entrar com lesões assim. Quem sabe por que aconteceu, como aconteceu, a verdade por trás do que realmente está acontecendo, porque acho que há muitas perguntas sobre como, por que ou se isso realmente aconteceu? Vamos apenas supor que seja [true], você vai lutar contra Michael Chandler com o dedo mindinho quebrado e não consegue colocar seu peso sobre ele, não consegue se movimentar, não consegue fazer o trabalho de pés. Tolice. Saia da porra da luta.

“Ninguém com bom senso está bravo com você, a não ser o fato de que quando Rafael dos Anjos fez isso com um pé realmente quebrado, você foi um idiota por causa disso.”

Numa reviravolta, dos Anjos foi rápido em lembrar McGregor dos inúmeros comentários que ele fez há oito anos, depois de perder a chance inicial de se tornar campeão de duas divisões do UFC.

McGregor vomitando insultos a dos Anjos naquela época fez dele um alvo fácil depois de revelar a natureza da lesão que o forçou a sair do UFC 303.

“O que vai, volta”, disse Brown. “O carma é real. Agora Conor está lidando com isso. Se ele tivesse ficado de boca fechada, seria total respeito. Você fala merda sobre outras pessoas fazendo isso e então vai e faz.”

Quando se trata da lesão real, Brown não pode dizer exatamente com o que McGregor está lidando porque o termo “dedo do pé quebrado” não lhe diz realmente a extensão do dano. Uma simples fratura no osso é muito diferente de possíveis danos nos tendões ou ligamentos que poderiam manter McGregor afastado dos gramados por mais tempo do que sua projeção inicial de retornar em agosto ou setembro.

Na realidade, Brown acredita que não importa a gravidade da lesão, a decisão de McGregor de não lutar contra Chandler no UFC 303 foi tão tática quanto prática.

“Aquele 1-3 nos últimos quatro é a maior parte de tudo isso”, disse Brown. “Se ele estivesse nessa situação e vindo de uma seqüência de quatro vitórias consecutivas, acho que toda essa conversa seria totalmente diferente. Mas saindo de 1-3 em seus últimos quatro, ele está certo – não entre lá a menos que esteja 100 por cento. Por que você correria esse risco?

“Já conversamos muitas vezes sobre o ego que ele tem e que precisa ser preenchido quando entra e luta. É por isso que ele está voltando para lutar, é uma coisa do ego. A última coisa que ele pode fazer é arriscar ser retocado. Se ele entrar lá e levar uma surra, o que pode acontecer, ele precisará de reabilitação depois disso. Você sabe que ele vai mergulhar na neve, vai esquiar.”

Piadas à parte, Brown reconheceu que embora o poder de estrela de McGregor possa não ser muito diminuído por outra derrota, ainda há um risco inerente em ir lá contra alguém tão perigoso como Chandler.

Possivelmente caindo para 1-4 em cinco lutas após uma longa ausência de três anos e completando 36 anos em julho, McGregor não tem muitas mais oportunidades de voltar ao topo da hierarquia do UFC. É exatamente por isso que McGregor não teve a chance de lutar contra Chandler devido ao dedo do pé quebrado.

“Realisticamente, se ele perder para Michael Chandler, suas lutas por dinheiro daqui em diante seriam os Jake Pauls, a merda do show secundário”, disse Brown. “Não serão lutas significativas, era isso que eu queria dizer. Ele nunca mais terá uma luta significativa [if he loses].”

Ouça novos episódios de The Fighter vs. The Writer todas as terças-feiras com versões apenas de áudio do podcast disponíveis em Podcasts da Apple, Podcasts do Google, Spotifye iHeartRadio



Fonte: mma fighting